Reino Unido. Vendas a retalho 0,6% abaixo dos níveis pré-pandemia

Os números dão razão ao ministro das Finanças, Jeremy Hunt, que na quinta-feira referiu que a Grã-Bretanha está em recessão e deu a conhecer previsões de queda do PIB, na ordem de 1,4%, no próximo ano.

As vendas a retalho no Reino Unido em outubro foram inferiores em 0,6% aos níveis pré-pandemia. Face a setembro, registou-se um decréscimo também de 0,6% no mês em análise (-1,5% no mês precedente), de acordo com os dados revelados esta sexta-feira pelo gabinete de estatísticas britânico e citados pela “Reuters”.

Os números dão razão ao ministro das Finanças, Jeremy Hunt, que na quinta-feira referiu que a Grã-Bretanha está em recessão e deu a conhecer previsões de queda do PIB, na ordem de 1,4%, no próximo ano. O responsável por aquela pasta anunciou ainda o aumento de impostos e uma gestão mais rigorosa do dinheiro público, de forma a equilibrar as contas.

De acordo com os dados divulgados esta semana, a inflação subiu 11,1% em outubro. O departamento de Responsabilidade Orçamental deu a conhecer previsões de um decréscimo de 4,3% nos rendimentos das famílias durante o presente ano fiscal, o que representa a maior queda deste indicador desde que há registos.

Recomendadas

Desflorestação na Amazónia cai pela primeira vez no Governo de Bolsonaro

A Amazónia brasileira perdeu 11.568 km2 de cobertura vegetal entre agosto de 2021 e julho de 2022, menos 11,3% que a devastada no ano anterior. É a primeira redução do desmatamento desde que Jair Bolsonaro chegou ao poder.

Israel: Netanyahu garante que vai manter a controlo sobre a extrema-direita

Primeiro-ministro designado insiste que os radicais com que formará governo não vão tomar o poder nas suas mãos. “Israel não será governado pelo Talmud”. A incógnita é o que acontecerá com o seu julgamento por corrupção.

Parlamento alemão define como genocídio a “grande fome” na Ucrânia

O parlamento alemão aprovou uma resolução que define de genocídio o ‘Holodomor´’, a “grande fome” que atingiu a Ucrânia em 1932-1933 e que terá vitimado mais de três milhões de ucranianos.
Comentários