PremiumReinventar pessoas e organizações através da tecnologia

Durante dois dias, 25 e 26 de janeiro, o Building The Future vai reunir especialistas nacionais e internacionais – decisores, líderes, profissionais da área tecnológica, investigadores, programadores e empreendedores – com o intuito de promover a partilha de conhecimento sobre como a tecnologia está a redefinir o progresso humano e a forma como interagirmos com a realidade. O evento decorrerá num formato híbrido – presencial para convidados – de acesso exclusivo –, mas no digital a experiência será, pela primeira vez, alargada a todos os cidadãos e organizações.

Em entrevista ao JE, Patrícia Mestre, diretora de marketing da Microsoft Portugal, explica porque esta edição é subordinada ao tema ‘A Teoria do Caos’. “A Teoria do Caos leva-nos a olhar além da aparente aleatoriedade dos eventos mundiais – seja os desafios pós-pandemia, inflação, ameaças de recessão económica, guerra e crises energética e climática – para projetar possíveis cenários de oportunidade. Muitos dos momentos mais disruptivos na humanidade surgem após os períodos de ‘caos’ mais conturbados e, num ambiente de mudança, cada organização tem a oportunidade de definir como irá sobreviver, ou até mesmo prosperar.

Olhamos para o caos como uma condição necessária à mudança e, como tal, temos de saber prosperar numa cultura de transformação. Acreditamos que é a perseverança digital que reflete a nossa capacidade de inovar, usando a tecnologia como alavanca para alcançar objectivos comerciais e de negócio. E é precisamente esta perseverança digital que queremos explorar e capitalizar na próxima edição do Building The Future, para ajudar a impulsionar o crescimento económico de que todos precisamos”.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Casino Estoril celebra noite de São Valentim com jantar romântico no restaurante “Bistrô”

Enquadrado numa área privilegiada do Casino Estoril, o restaurante “Bistrô” situa-se próximo da entrada principal do Salão Preto e Prata, distinguindo-se pelo seu ambiente acolhedor e informal.

Ver “Ursos não há”, de Jafar Panahi, é também um ato solidário

O mais recente filme do realizador iraniano, “Ursos não há”, premiado em 2022 em Veneza, está nas salas de cinema em Portugal. Apesar de todas as restrições, nunca deixou de filmar.

Uma plataforma industrial onde a arte inspira a ir mais além

Na ECOSTEEL, uma fábrica do grande Porto, que já foi apelidada de “fábrica da criatividade”, respira-se arte. No restaurante que serve de cantina as refeições têm como pano de fundo painéis do Bordalo II e o jardim é plantado por instalações artísticas de Pedro Cabrita Reis, Siza Vieira e Pedro Calapez, entre outros.
Comentários