Renault e Geely anunciam consórcio para produção de motores a gasolina e híbridos

O consórcio planeia construir 17 fábricas, com capacidade de produção anual de cinco milhões de motores, e cinco centros de pesquisa e desenvolvimento, em três continentes. Este empreendimento vai empregar 19 mil pessoas, afirmaram as empresas, em comunicado.

46 – Renault ZOE

A francesa Renault e a chinesa Geely anunciaram hoje planos para a produção conjunta de motores movidos a gasolina e híbridos, somando-se a outras parcerias entre construtoras que visam suportar os custos com a transição no setor automóvel.

O consórcio planeia construir 17 fábricas, com capacidade de produção anual de cinco milhões de motores, e cinco centros de pesquisa e desenvolvimento, em três continentes. Este empreendimento vai empregar 19 mil pessoas, afirmaram as empresas, em comunicado.

As construtoras não detalharam o valor do investimento, mas disseram que cada parceiro vai ter metade do empreendimento.

O consórcio visa fornecer marcas pertencentes ou vinculadas à Renault e à Geely, incluindo Nissan, Mitsubishi, Volvo Cars, Renault, Dacia, Geely Auto, Lynk & Co. e Proton, disseram as empresas.

O empreendimento visa também fornecer marcas de terceiros numa segunda fase.

As construtoras globais de automóveis estão a formar parcerias ‘joint venture’, visando partilhar os altos custos que o desenvolvimento de veículos elétricos e motores a gasolina mais eficientes acarreta, como parte da transição do setor, que visa cumprir com as metas ambientais a nível global.

O acordo Renault-Geely “vai permitir a criação de um líder global em tecnologias híbridas, para fornecer soluções avançadas altamente eficientes para as construtoras de todo o mundo”, disse Eric Li, presidente da Geely Holding Group, em comunicado.

Recomendadas

Ibersol com lucros de 14,6 milhões de euros até setembro

A Ibersol registou nos primeiros nove meses deste ano lucros consolidados de 14,6 milhões de euros, que comparam com prejuízos de mais de 20 milhões de euros no período homólogo.

Greve na CP e IP suprimiu 701 comboios até às 18h00

A greve dos trabalhadores da CP – Comboios de Portugal e da Infraestruturas de Portugal (IP) levou à supressão de 701 comboios da CP entre as 00h00 e as 18h00.

Semapa aprova distribuição de reservas no montante de quase 100 milhões

Na Assembleia Geral Extraordinária da Semapa foi aprovada a proposta de distribuição de reservas no montante ilíquido por ação de 1,252 euros.
Comentários