Reserva contra cíclica de fundos próprios dos bancos vai manter-se em 0%

A decisão, reportada esta quinta-feira, foi tomada por deliberação do Conselho de Administração de 22 de dezembro de 2020, após notificado o Banco Central Europeu, que não objetou à proposta do Banco de Portugal.

O Banco de Portugal apontou esta quinta-feira, 31 de dezembro, que em janeiro a reserva contra cíclica de fundos próprios dos bancos vai manter-se em 0%.

“A percentagem de reserva contra cíclica de fundos próprios a vigorar a partir de 1 de janeiro de 2021 manter-se-á em 0% do montante total das posições em risco”, refere o Banco de Portugal em comunicado acrescentando que “a decisão foi tomada por deliberação do Conselho de Administração de 22 de dezembro de 2020, após notificado o Banco Central Europeu, que não objetou à proposta do Banco de Portugal, e consulta ao Conselho Nacional de Supervisores Financeiros”.

O Banco de Portugal informa ainda que “a percentagem de reserva contra cíclica de fundos próprios aplica-se a todas as posições em risco de crédito, cuja contraparte seja o setor privado não financeiro nacional, de instituições de crédito e de empresas de investimento sujeitas à supervisão do Banco de Portugal ou do Banco Central Europeu (Mecanismo Único de Supervisão), e é revista trimestralmente”.

A reserva contra cíclica de fundos próprios corresponde a uma reserva adicional constituída por fundos próprios que tem como objetivo proteger o setor bancário nos períodos em que o risco sistémico cíclico aumenta.

Recomendadas

Fitch melhora perspetiva do rating do BCP

A mudança de perspectiva para o rating do BCP reflete, em parte, uma maior clareza em torno do provisionamento necessário para cobrir os riscos legais do Bank Millennium com empréstimos hipotecários denominados em francos suíços, na Polónia.

Sindicatos dos Quadros e SIB pedem apoio extraordinário para bancários no ativo

Ainda sobre as medidas do Governo de apoio para fazer face à inflação, o Sindicato Nacional dos Quadros e Técnicos Bancários (SNQTB) e o SIB (Sindicato Independente da Banca) pedem parecer sobre constitucionalidade do apoio aos pensionistas e exigem apoio extraordinário para bancários no ativo.

Rácio de crédito malparado na banca melhora para 3,4% no segundo trimestre

A queda “reflete a diminuição dos NPL (-4,0%) e o aumento dos empréstimos produtivos (+1,8%)”, explica o supervisor da banca. A rentabilidade também melhorou.
Comentários