Reserva Federal Americana dá boleia às bolsas

As bolsas iniciaram o dia à boleia do relatório da Reserva Federal Americana. As subidas ligeiras rapidamente registaram quedas significativas, devido ao sector associado às matérias-primas e banca. Em destaque está o Deutsche Bank, que confirmou as estimativas de prejuízos de seis mil milhões de euros, tendo já suspendido o plano de dividendos estabelecido para […]


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

As bolsas iniciaram o dia à boleia do relatório da Reserva Federal Americana. As subidas ligeiras rapidamente registaram quedas significativas, devido ao sector associado às matérias-primas e banca. Em destaque está o Deutsche Bank, que confirmou as estimativas de prejuízos de seis mil milhões de euros, tendo já suspendido o plano de dividendos estabelecido para o biénio 2015-2016.

O grupo anunciou ainda um plano de redução de pessoal, sem afectar os trabalhadores portugueses. De um modo geral, a banca europeia negoceia com os olhos postos no dia de sábado, quando se conhecerão os resultados dos testes de stress ao sector, balanceando as subidas e descidas de acordo com as expectativas de aprovação ou não no principal exame realizado pelo BCE.

O PSI20 foge às ondas negativas do Velho Continente e segue mesmo a ganhar mais de 1,5%. Mais de 80% das cotadas negoceia em terreno positivo com destaque, mais uma vez, para o Banif. O sector bancário foge à tendência das congéneres europeias e o banco liderado por Jorge Tomé avança mais de 20% devido ao aumento de ofertas vinculativas para compra do negócio segurador do grupo.

É natural, por isso, que possamos observar nos próximos dias grandes variações percentuais no activo, ao preço actual, qualquer variação nominal de 0,0001 corresponde a 3,7%.

O BPI continua em grande destaque depois dos lucros ontem apresentados. Os lucros de 150 milhões de euros, relativos aos primeiros nove meses do ano, permitem antever uma boa earning season para o sector bancário português, decorrente do aumento da actividade doméstica.

Nos EUA, registavam-se à pouco quedas nos principais índices, fruto da desaceleração maior do que esperada da economia, no terceiro trimestre. Ainda que o reflexo nos activos de risco seja para já negativo, as perspectivas de incremento do consumo interno deixam a porta aberta para que, ainda este ano, possamos observar uma subida da taxa de referência na principal economia do mundo.

Por Pedro Ricardo Santos, gestor da XTB Portugal 

Recomendadas

Novabase suspende programa de recompra de ações

A tecnológica já tinha suspendido o programa em junho, tendo depois voltado a retomá-lo. Segundo informação publicada nessa altura, o programa estava previsto durar até 31 de dezembro de 2023.

Encarnado toma conta de Wall Street no fecho da sessão

Mesmo as ações da Taiwan Semiconductor Manufacturing, que negoceia no Dow Jones, caíram mais de 3% apesar de a empresa ter anunciado um investimento de 40 mil milhões de dólares no Arizona, o maior de sempre neste estado norte-americano.

Europa fecha em queda e PSI não é exceção. Juros soberanos em queda

As bolsas europeias fecharam em queda influenciadas pelos indicadores do Estados Unidos que sugerem maior agressividade na subida dos juros do outro lado do Atlântico.