PremiumReserva Federal penaliza mercados

A postura mais ‘hawkish’ do que o esperado do banco central norte-americano empurra os mercados para perto de mínimos do ano.

Tal como aguardado, a Reserva Federal dos EUA (Fed) subiu as suas taxas de juro de referência em 75 pontos base. Todavia, sinalizou um aumento de um quarto de ponto em 2023, quando o mercado esperava um alívio dos juros no próximo ano. A Fed anunciou aumentos mais elevados nas suas novas projeções, de acordo com o mais recente diagrama de pontos (‘dot plot’) de 21 de setembro, sinalizando uma taxa de juro de referência nos 4,4% até ao final deste ano, antes de atingir os 4,6% em 2023. Estes números são bem superiores às anteriores projeções de junho de 3,4% e 3,8%, respetivamente. Os investidores estão preocupados com o compromisso de a Fed manter os aumentos em 2023 para combater a inflação.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumPutin une extremos na oposição ao Ocidente

As franjas mais extremas europeias convergem no apoio a Putin, unidas por um antiamericanismo reforçado, à esquerda, por uma orfandade do comunismo soviético e, à direita, pela admiração por um regime iliberal e autocrático.

PremiumPara saudar o regresso de um majestoso Jaen

Serve este texto para saudar a aposta de um produtor do Dão, a Caminhos Cruzados, integrada há cerca de dois anos no grupo da Quinta da Pacheca (no Douro), na comercialização de um monovarietal de uma das castas mais singulares que se produzem em Portugal: a Jaen (Mencia, em Espanha). Há quem diga que em relação à Jaen, ou se ama ou se detesta.

PremiumFada ou bruxa? Uma duquesa que incomoda muita gente

Sociopata narcisista”. Uma classificação nada abonatória, mas é assim que é descrita Meghan Markle por ex-funcionários do Palácio de Buckingham que trabalharam para os duques de Sussex, segundo o que é revelado no novo livro de Valentine Low, que escreve sobre assuntos reais para o “The Times”.
Comentários