Respostas Rápidas: O que precisa saber sobre os novos horários da Autoeuropa

A administração da Autoeuropa anunciou esta terça-feira que vai avançar unilateralmente com um novo horário de produção. Saiba o quais os contornos desta medida.

Qual a proposta de trabalho apresentada pela Autoeuropa?

A administração da Autoeuropa quer implementar a produção por 17 turnos semanais, “que cumpre com a lei e garante a produção aos sábados a dois turnos”, indica a empresa, num comunicado enviado aos trabalhadores.

Os novos horários prevêem que cada trabalhador tenha quatro fins de semana completos e mais um período de dois dias consecutivos de folga a cada dois meses.

A Autoeuropa compromete-se em pagar os sábados a duplicar, tal como reivindicavam os trabalhadores. Além disso, estes poderão beneficiar de um acréscimo de mais 25%, caso os objetivos de produção trimestrais sejam superados.

 

Porque é que a medida é unilateral?

Depois de tentativas falhadas de chegar a acordo com os trabalhadores, esta foi a medida encontrada pela administração da empresa para assegurar o programa de produção para o próximo ano, incluindo o novo modelo T-Roc. O impasse causado pela rejeição de um primeiro pré-acordo sobre os novos horários tem vindo a arrastar-se desde julho.

O último pré-acordo, negociado entre a Comissão de Trabalhadores e a administração da fábrica de Palmela, que previa a laboração contínua em 17 turnos de trabalho, com rotação semanal, foi rejeitado por 63% dos trabalhadores no referendo realizado no passado dia 29 de novembro.

A Autoeuropa sublinha que foram “expressas muitas opiniões diferentes nas várias reuniões” com a Comissão de Trabalhadores, mas entende que “a maioria dos colaboradores está comprometida com o cumprimento do programa de produção do próximo ano” e, por isso, quer avançar rapidamente com a medida.

 

Quando é que a medida vai arrancar?

O novo horário deve entrar em vigor “em finais de janeiro”, segundo o comunicado da empresa distribuído esta manhã pelos trabalhadores. A Autoeuropa indica que o acordo deve vigorar até ao mês de agosto, sendo depois discutido com a Comissão de Trabalhadores para nova negociação, após esse período de tempo.

 

Como estão a reagir aos trabalhadores? 

Embora a medida venha atender a algumas das reivindicações dos trabalhadores, como o pagamento a duplicar do trabalho aos fins de semana, os trabalhadores da fábrica de Palmela mostraram algum ressentimento, tendo em conta que a empresa quer avançar a todo o custo com a medida e não terá chegado a qualquer acordo com a Comissão de Trabalhadores.

O SITE, Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, e a administração da Autoeuropa vão reunir-se para discutir a decisão da empresa em avançar com estes horários.

Relacionadas

Novo horário da Autoeuropa entra em vigor em janeiro

“Embora tenham sido expressas muitas opiniões diferentes nas várias reuniões, entendemos que a maioria dos colaboradores está comprometida com o cumprimento do programa de produção do próximo ano”, refere a empresa em comunicado enviado aos trabalhadores.

“Tempo corre contra” o futuro da Autoeuropa, alerta Vieira da Silva

O ministro do Trabalho advertiu hoje que a atual situação de impasse na Autoeuropa constitui um sério risco e apelou a uma rápida convergência entre administração e trabalhadores, porque “o tempo corre contra” o futuro da empresa.

Governo: situação na Autoeuropa “é um risco” e apela a soluções

O ministro do Trabalho disse, na quarta-feira à noite à margem da Gala da Associação Nacional de Jovens Empresários, no Porto, que o impasse na Autoeuropa “não é positivo”.

Trabalhadores da Autoeuropa rejeitaram segundo pré-acordo sobre novos horários de trabalho

O pré-acordo agora rejeitado estabelecia os termos do trabalho ao sábado e da laboração contínua (três turnos diários), que deveria ter início depois das férias de agosto de 2018.
Recomendadas

CGD vai continuar com uma posição de capital acima da média da Europa, diz Paulo Macedo

O presidente da Comissão Executiva da CGD disse hoje que o banco vai continuar com uma das maiores redes de agências e com uma posição de capital acima da média da Europa e acima dos bancos portugueses.

Alliance Healthcare tem um novo CEO

Paulo Clímaco Lilaia é o novo CEO da Alliance Healthcare, anunciou a empresa que  armazena e distribui produtos farmacêuticos, em comunicado.

Unicórnio Feedzai nomeia David Henshall para o conselho de administração

O antigo presidente e CEO da norte-americana Citrix Systems juntou-se à gestão da empresa liderada por Nuno Sebastião, conhecida pela sua plataforma digital de gestão de risco e fraude financeira.
Comentários