Respostas Rápidas. Por que gerou polémica a marquise construída por CR7?

A ‘marquise’ construída por Cristiano Ronaldo tem dado que falar, depois de o arquiteto responsável pelo edifício e a Câmara Municipal de Lisboa levantarem suspeitas sobre a legalidade da obra.

Depois de vir a público que Cristiano Ronaldo construiu uma ‘marquise’ no seu novo apartamento em Lisboa, na rua Castilho, o arquiteto autor do edifício, José Mateus, criticou o craque português, acusando-o de “desrespeito e conspurcação de forma ignóbil do nosso trabalho, da nossa arquitetura, sem ter cumulativamente a anuência dos arquitetos, dos vizinhos”, acrescentando que CR7 não tinha o projeto aprovado pela Câmara Municipal de Lisboa (CML).

Que remodelações fez Cristiano Ronaldo no apartamento?

O jogador de futebol contratou cinco decoradores, segundo o “Correio da Manhã” (CM), para remodelar o imóvel, mandando construir uma ‘marquise’ no terraço. Como contou o jornal da Cofina na sua edição desta quinta-feira, a estrutura não estava nos projetos iniciais que apenas comtemplava uma piscina e uma zona lounge no terraço.

O que diz a CML sobre a legalidade da construção?

A CML vai levar a cabo uma inspeção ao apartamento adquirido por CR7 para “averiguar se a ‘marquise’ colocada no terraço está legal”. Apesar de a CML garantir que não chegou aos serviços de Urbanismo “qualquer pedido ou autorização posterior a 2020, solicitando alterações ao projeto desenhado pelo arquiteto José Mateus”, a autarquia quer “fiscalizar primeiro e tirar conclusões depois”.

Qual é a opinião do arquiteto José Mateus?

José Mateus apelida a remodelação como um “autogolo” marcado por Cristiano Ronaldo. “A admiração e respeito que tinha por Cristiano Ronaldo, um atleta exímio e inspirador, um exemplo para todos que muitas vezes referi perante os meus filhos e alunos, desmoronou-se num ápice. Comprou um apartamento no edifício Castilho 203, cuja arquitetura foi desenhada pela ARX, atelier que fundei com o meu irmão Nuno em 1991 e que baseia o seu trabalho, tal como CR7, numa dedicação extrema, níveis de exigência altíssimos, trabalho diário duríssimo”, disse.

O arquiteto refere que “assistir ao desrespeito e à conspurcação de forma ignóbil do nosso trabalho, da nossa arquitetura, sem ter cumulativamente a anuência dos arquitetos, dos vizinhos e sem projeto aprovado pela CML, construindo à bela “maneira antiga” uma marquise no coroamento do edifício, é algo a que não vou assistir parado. Há cultura, há autorias, há regras, há respeito pelos outros e pelo trabalho dos outros, há civismo, há princípios que não admito que sejam atropelados. Seja por quem for”, de acordo com o CM.

Quanto custou o apartamento em causa?

Em agosto do ano passado foi noticiado que a Vanguard Propeties vendeu o apartamento mais caro de Portugal por 7,3 milhões de euros. Na altura, fonte oficial da empresa disse ao Jornal Económico (JE) que a penthouse do prédio Castilho 203 tinha sido vendida a um cidadão europeu. Mas fonte próxima ao processo revelou ao JE que o cidadão europeu que pagou mais de 25 mil euros\m2 do apartamento mais caro alguma vez vendido em Portugal foi Cristiano Ronaldo.

Recomendadas

Valor da renda média desceu 15,4% em setembro. Primeira quebra desde janeiro

Valor baixou dos 1.412 euros para os 1.194 euros. No entanto, e face ao mesmo mês de 2021, o valor das rendas apresentou um aumento de 18,7%.

Portugueses compraram mais de metade dos apartamentos de projeto no Parque das Nações

Com um investimento de 30 milhões de euros, o ‘O’Living’ conta com 86 apartamentos, sendo que 44 já foram vendidos na sua maioria a famílias portuguesas.

Gestora de propriedades britânica investe 25 milhões na reabilitação do Lagoas Park

Henderson Park Capital tinha adquirido o edifício em 2020 e pretende modernizar durante os próximos quatro anos um espaço que alberga perto de 90 empresas.
Comentários