Respostas Rápidas: Que jogadores de Portugal mais podem valorizar neste Mundial?

Da baliza ao ataque, da Luz ao Dragão passando por Madrid, a prestação da Seleção portuguesa no Mundial pode dar muito a ganhar em 2023, sobretudo aos clubes que “emprestam” os seus melhores ativos para a prova de seleções de excelência a nível mundial. Saiba que jogadores poderão sair mais valorizados com a promessa das milhões para o fecho de contas do primeiro semestre da temporada.

A boa prestação da Seleção portuguesa no Mundial do Qatar, cujo ponto máximo foi atingido esta terça-feira com uma expressiva goleada sobre a Suíça (6-1), poderá catapultar a valorização de alguns futebolistas mais jovens do elenco comandado por Fernando Santos.

Da baliza ao ataque, da Luz ao Dragão passando por Madrid, a prestação da Seleção portuguesa no Mundial pode dar muito a ganhar em 2023, sobretudo aos clubes que “emprestam” os seus melhores ativos para a prova de seleções de excelência a nível mundial. Saiba que jogadores poderão sair mais valorizados com a promessa das milhões para o fecho de contas do primeiro semestre da temporada.

Quanto pode valorizar Gonçalo Ramos?

O jovem avançado do SL Benfica é o terceiro futebolista mais novo da Seleção Nacional e o mais novo dos três avançados centro que Fernando Santos levou para o Qatar. Segundo o site “Transfermarkt”, o melhor marcador da Liga portuguesa (com nove golos apontados) estava avaliado em oito milhões de euros há um ano. Em apenas doze meses, Gonçalo Ramos valorizou 16 milhões de euros para 24 milhões de euros e depois do “hat trick” apontado frente à Suíça, é de esperar que o valor de mercado cresça substancialmente na próxima revisão do “Transfermarkt”. Para já, Ramos tem três jogos disputados neste Mundial, 84 minutos, três golos e uma assistência.

João Félix: recuperar tempo (e dinheiro) perdido

Aos 23 anos, o jovem avançado formado no SL Benfica e detentor do recorde de transferência mais cara de sempre do futebol português (126 milhões em julho de 2019) procura recuperar tempo mas também a valorização perdida. Em janeiro de 2021, o passe de Félix estava avaliado em 100 milhões de euros, mas a partir daí foi sempre a descer e em quase dois anos, o valor de mercado do avançado caiu para metade: 50 milhões de euros. Com um contrato até 2026, João Félix viu no Mundial uma oportunidade única e aproveitou a liberdade criativa dada por Fernando Santos para mostrar em campo todo o talento que se julgava perdido. A tal ponto que já se dá como adquirida a sua saída de Madrid em janeiro. Em 243 minutos neste Mundial, tem um golo marcado e duas assistências.

Diogo Costa: baliza fechada a 35 milhões de euros

Foi há apenas umas semanas mas parece que vai longe o dia em que Diogo Costa podia ter comprometido a vitória de Portugal frente ao Gana ao não reparar que tinha um avançado atrás de si quando iria repor a bola em campo. Depois disso, salvou Portugal frente ao Uruguai e continuou a dar segurança entre os postes de Portugal. Aos 23 anos, é titular do FC Porto e está avaliado em 35 milhões de euros, uma revisão que teve em conta a enorme prestação de Diogo Costa na Liga dos Campeões, prova em que tem sido uma das figuras de maior destaque. Renovou contrato há um mês até 2027 e promete ser o maior encaixe financeiro da história dos “dragões” com um guarda-redes. Em 360 minutos neste Mundial (quatro jogos) tem cinco golos sofridos.

Recomendadas

Processo que envolve direção do Benfica em segredo de justiça

Os advogados do Benfica referiram hoje que o processo em que a SAD e membros do Conselho de Administração do mandato 2016-2020 foram constituídos arguidos está em “segredo de justiça” e que a divulgação “pode constituir ilícito criminal”.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quinta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quinta-feira.

“Falha” nas regras da UEFA permite ao milionário Chelsea cumprir o ‘fair-play’ financeiro

Os ‘blues já gastaram mais de 600 milhões de euros esta época mas os jogadores contratados estão a assinar contratos de longa duração, de forma a que os valores sejam divididos no tempo. E foi assim que o Chelsea contornou as regras do ‘fair-play’ financeiro.
Comentários