Revista de imprensa Internacional: as notícias que estão a marcar a atualidade

Com a chegada do novo ano lunar a China prepara-se para uma possível nova vaga de COVID. Após o ataque de domingo a Kiev, a Rússia iniciou hoje exercícios em conjunto com a Bielorrússia. O acidente de avião no Nepal é o terceiro mais mortal do país.

“The Guardian”-  China receia nova vaga de Covid-19

Com a chegada do novo ano lunar, os chineses estão a ir de férias para pequenas aldeias do país, deixando estações de comboio cheias e com necessidade de aumentar a sua oferta. Esta partida dos cidadãos está a deixar os especialistas de saúde preocupados, pois temem que estas férias possam intensificar um surto de Covid-19.

No sábado, as autoridades informaram que entre dia 8 de dezembro e 12 de janeiro já morreram quase 60.000 pessoas com a doença, dados comunicados depois de a Organização Mundial da Saúde (OMS) ter criticado a falta de transparência do país.

Os centros de saúde das áreas mais rurais receiam não ter capacidade de dar resposta a uma nova vaga e temem pela sua população mais idosa. A Comissão Nacional de Saúde da China disse que iria equipar todas as clínicas de aldeias com oxímetros de pulso, remédios para a febre e fornecer-lhes oxigénio.

 

“Reuters”- O chefe da máfia Cosa Nostra da Sicília foi preso pela polícia italiana

A polícia italiana confirmou, esta segunda feira, que tem Matteo Messina Denaro, chefe da máfia mais procurado do país, preso. Estava fugido há mais de três décadas e foi encontrado num hospital privado na capital siciliana, Palermo. Messina é o chefe da máfia Cosa Nostra da Sicília.

Foi condenado a prisão perpétua, por ter participado em assassinatos em 1992, de Giovanni Falcone e Paolo Borsellino, e por ter tido um papel nos ataques com bomba em Florença, Roma e Milão.

 

“CNN News”- Acidente de avião no Nepal torna-se o terceiro mais mortal do país

No domingo, uma aeronave caiu perto da cidade de Pokhara, no Nepal, fazendo, pelo menos, 68 vítimas mortais. Este torna-se assim o acidente de avião mais mortal do país em mais de 30 anos. O avião operado pela Yeti Airlines do Nepal, levava a bordo 72 pessoas, 68 passageiros e quatro tripulantes, segundo dados do porta-voz da companhia aérea. Este é o terceiro acidente mais mortal na história do país.

O avião caiu no desfiladeiro do rio Seti, os socorristas do exército do Nepal e vários departamentos da polícia foram mobilizados para o local do acidente para iniciarem as suas buscas. Ao anoitecer todas as buscas foram paradas, mas serão retomadas na manhã de segunda-feira.

Relacionadas

Nepal revê para 66 número de mortos em acidente aéreo de domingo

No local onde o aparelho se despenhou, no centro do país, as equipas de socorro procuram também entre os destroços as “caixas negras” do avião. As causas do acidente ainda não foram determinadas.
Recomendadas

Presidente dos EUA deu ordem para Força Aérea abater balão chinês

Pequim admitiu que o balão lhe pertence, mas garante que se trata de “um dispositivo civil para fins meteorológicos”.

Balão chinês foi abatido por caças da Força Aérea dos Estados Unidos

De acordo com fontes militares, está em curso uma operação para recuperar os destroços do balão abatido sobre as águas da costa leste dos Estados Unidos, quando voava a 60 mil pés.

Zelensky insiste com primeiro-ministro britânico que Rússia “não tem lugar” nos Jogos Olímpicos de Paris

Por seu lado, Sunak explicou ao presidente ucraniano que o Reino Unido está agora focado em “garantir que o equipamento militar defensivo” do país “chegue à linha da frente o mais rapidamente possível”.
Comentários