Revista de imprensa internacional: as notícias que estão a marcar a atualidade global

Pelos menos 280 mortos em terramoto no Afeganistão; Somália: “A pior crise humanitária que alguma vez vimos”, diz ONU; Zelensky expectante com aprovação do estatuto de candidato da Ucrânia à UE

“Reuters” – Pelos menos 280 mortos em terramoto no Afeganistão

Um terramoto de magnitude 6.1 provocou a morte de, pelo menos, 280 pessoas no Afeganistão esta quarta-feira, um número que deverá subir à medida que novos dados de aldeias remotas sejam conhecidos.

De acordo com as autoridades afegãs, centenas de pessoas ficaram feridas após o tremor de terra que atingiu cerca de 44 km (27 milhas) da cidade de Khost, perto da fronteira paquistanesa, segundo o U.S. Geological Survey (USGC).

“The Guardian” – Somália: “A pior crise humanitária que alguma vez vimos”, diz ONU

Michael Dunford, diretor regional do Programa Alimentar Mundial (PAM) para a África Oriental, alertou que apenas uma “massiva” e imediata entrega de fundos e ajuda humanitária pode salvar a Somália da fome, numa altura em que crescem os relatos de trabalhadores humanitários sobre casos de crianças a morrer à fome.

Numa mensagem dirigida aos líderes do G7, o porta-voz da ONU apelou aos governos que façam uma doação urgente e generosa para evitar uma escalada da catástrofe naquele país do Corno de África.

“Interfax” – Zelensky expectante com aprovação do estatuto de candidato da Ucrânia à UE

Volodymyr Zelensky afirmou ontem, terça-feira, que espera que os líderes europeus aprovem o estatuto de candidato da Ucrânia ao bloco na cimeira da UE agendada para os dias 23 e 24 de junho, em Bruxelas.

“Estou grato a todos os que apoiam a Ucrânia. Aguardo com expectativa uma decisão europeia afirmativa sobre a Ucrânia”, afirmou o presidente ucraniano citado pelos meios de comunicação ucranianos.

 

Recomendadas

G7 vai “mobilizar” 600 mil milhões de dólares para programa mundial de Infraestruturas até 2027

Plano de construção de Infraestruturas lançado este domingo pelos líderes do G7 foi impulsionado pelos Estados Unidos e visa contrariar o avanço da China.

Rússia mais perto do primeiro grande default desde a Revolução Bolchevique

Em causa estão 100 milhões de dólares de juros relativos a dois títulos, um em dólares e outro em euros, que a Rússia deveria ter pagado até 27 de maio.

Oceanos. Marcelo avisa jovens para não confiarem nos decisores e lutarem por si

Marcelo Rebelo de Sousa discursava na sessão de encerramento do Fórum da Juventude e Inovação da Conferência dos Oceanos da ONU 2022.
Comentários