Revive: Governo já está analisar concessões para 2020 e privilegia projetos turísticos

Com o Quartel da Graça, passam a ser 10 os imóveis adjudicados ao abrigo do Programa Revive, o que representa um investimento de 100 milhões de euros.

“O Revive é uma das boas ideias que o país soube lançar e executar nos últimos anos”, sublinhou o ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, esta quarta-feira, na assinatura do contrato de concessão do décimo imóvel concessionado no âmbito do Programa Revive. Trata-se do Quartel da Graça, em Lisboa, o qual adjudicado a um agrupamento de empresas do grupo Sana, que apresentou uma proposta de renda de 1,79 milhões de euros anuais (o valor base do concurso estava fixado em 332.604 euros).

O investimento estimado para a recuperação do imóvel é de cerca de 30 milhões de euros, para a instalação de um hotel de 5 estrelas que contará com 170 quartos e mais de 200 lugares de estacionamento. A abertura do novo hotel está prevista para o final de 2022.

Sobre este projeto, o ministro realçou ainda o papel, à semelhança do que acontece com muitos outros espaços requalificados através do Revive, de transformação da zona onde se insere, “constituindo por isso uma mais-valia para as comunidades esta capacidade que o programa tem de devolver os equipamentos, edifícios históricos, ao usufruto e que assim passa para as gerações vindouras”.

Até ao momento foram lançados concursos relativos a 20 imóveis no âmbito do Revive que têm como denominador comum o facto de serem de vocação turística. No total,  já foram identificados 49 equipamentos relevantes, localizados um pouco por todo o país. Em declarações ao JE, Rita Marques, secretária de Estado do Turismo, detalha que para 2020, já estão a ser analisados alguns projetos e “muito em breve, vão ser lançados mais três concursos, de concessão, sendo que neste momento estamos a ultimar outros dois que estão abertos, sendo que um deles até termina hoje”. Quanto às suas localizações, esclarece que se estendem um pouco por todo o país, nomeadamente, a Coimbra, Aveiro e Alentejo.

Ainda sobre o Quartel da Graça, classificado como Monumento Nacional desde 1910, recorde-se que está localizado numa das sete colinas de Lisboa, com vista privilegiada para a cidade. Foi fundado, enquanto Convento da Graça, no século XIII pela Ordem dos Agostinhos Eremitas, tendo sido reedificado no século XVI e restaurado após o terramoto de 1755. Com a extinção das ordens religiosas, em 1834, foi ocupado pelo Exército, passando nesse momento a designar-se de Quartel da Graça. Nos últimos anos, o Quartel acolheu serviços da GNR e do Exército.

 

Relacionadas

Quartel da Graça vai ser concessionado ao Grupo SANA

Está previsto um investimento de cerca de 30 milhões de euros nesta futura unidade hoteleira de cinco estrelas, que terá uma capacidade de 120 quartos. A abertura deste novo projeto do programa Revive deverá ocorrer no final de 2022.
Recomendadas

Emissão obrigacionista da Sonangol é “bem vinda” para a bolsa angolana

Segundo o responsável do Departamento de Desenvolvimento de Mercado da Bodiva, Nivaldo Matias, a iniciativa da Sonangol ainda não foi dada a conhecer formalmente à instituição, contudo, a decisão da petrolífera é “bem-vinda”.

Novabase suspende programa de recompra de ações

A tecnológica já tinha suspendido o programa em junho, tendo depois voltado a retomá-lo. Segundo informação publicada nessa altura, o programa estava previsto durar até 31 de dezembro de 2023.

Trabalhadores da Autoeuropa rejeitam pré-acordo laboral que previa aumento de 5,2%

Dos mais de cinco mil trabalhadores da fábrica de automóveis da Volkswagen, em Palmela, no distrito de Setúbal, só 3.865 exercerem o direito de voto, 2.007 dos quais votaram contra o pré-acordo e 1.826 a favor. Houve ainda 10 votos nulos e 22 brancos.
Comentários