Revolta dos “coletes amarelos” já causou prejuízos superiores a mil milhões de euros

O ministro das Finanças francês, Bruno Le Maire, disse hoje que os protestos foram um golpe sério para as empresas e a economia da nação.

Anadolu Agency | Getty Images

“É uma catástrofe para os negócios e para a nossa economia”, disse hoje Le Maire aos jornalistas, enquanto visitava o centro de Paris. De acordo com as associações de retalhistas, o protesto causou avultados prejuízos, superiores a mil milhões de dólares.

O setor do turismo foi outros dos mais prejudicados. As imagens da capital francesa causaram uma quebra 50% nas reservas turísticas, em comparação com o ano anterior. Na mesma linha, os museus cancelaram o acesso a algumas das maiores exposições de artistas, como Picasso, Caravaggio e Basquiat.

Recorde-se que em França, este movimento dos “coletes amarelos” nasceu espontaneamente, à margem dos partidos e sindicatos, que inicialmente protestaram contra a grande carga de impostos e perda do poder de compra mas depois alargou o descontentamento em relação a várias medidas do Presidente francês, Emmanuel Macron.

O governo francês vai reforçar o dispositivo de segurança por parte das forças que estão atualmente em patrulhas anti-terroristas no país, com o objetivo de proteger os edifícios públicos. Os comerciantes de todas as lojas dos Campos Elísios foram aconselhados a tapar as montras com painéis de proteção e a retirar todos os objetos exteriores que possam ser mais vulneráveis.

O Arco do Triunfo, que se situa no topo da avenida mais emblemática de Paris, foi palco dos maiores momentos de tensão e confrontos entre manifestantes e polícia no último sábado, 1 de dezembro. “Não tenho nenhum problema em admitir que em tal ou tal questão poderíamos ter feito diferente, e que se ainda houver tanta raiva é porque ainda temos muitas coisas para melhorar”, disse Emmanuel Macron.

Relacionadas

Risco de contágio? Manifestação de “coletes amarelos” pode chegar a Portugal

Evento no Facebook convoca protesto para o próximo dia 21 de dezembro e cerca de nove mil perfis já confirmaram presença.

Emmanuel Macron fala aos franceses na segunda-feira

O Presidente francês, Emmanuel Macron, vai dirigir-se à nação na segunda-feira às 20:00 (19:00 em Lisboa), anunciou hoje o Eliseu, após o silêncio em relação às últimas manifestações dos “coletes amarelos”.

Marine Le Pen pede a Macron “respostas fortes” a “sofrimento” dos “coletes amarelos”

A presidente da União Nacional, Marine Le Pen, pediu hoje ao Presidente francês, Emmanuel Macron, “respostas fortes” face ao “sofrimento social” manifestado pelos “coletes amarelos”, que continuam a manifestar-se em Paris e em toda a França.
Recomendadas

Primeira-ministra dinamarquesa convoca eleições antecipadas para novembro

O Partido Social Liberal, uma das formações que dá maioria ao Governo social-democrata, tinha ameaçado Frederiksen com uma moção de censura se não convocasse eleições, após apresentar em junho um relatório crítico sobre a gestão feita pelo executivo em relação ao abate de milhões de visons, devido a uma mutação do coronavírus.

Prémio Nobel da Química para 3 cientistas responsáveis química ‘bioorthogonal’

O termo química ‘bioorthogonal’ refere-se a qualquer reação química que pode ocorrer dentro de sistemas vivos sem interferir nos processos bioquímicos nativos. O termo foi cunhado por Carolyn R. Bertozzi em 2003.

Japão pede à ONU que mostre firmeza após teste de míssil norte-coreano

“Nós acreditamos que a Coreia do Norte poderia realizar atos mais provocativos, como um teste nuclear”, afirmou o porta-voz do Governo japonês, Hirokazu Matsuno, numa conferência de imprensa.
Comentários