Revolut lança conta para freelancers e trabalhadores independentes

“Como as empresas e os consumidores utilizam cada vez mais pagamentos e cartões digitais em vez de dinheiro, o Revolut Pro permite aos profissionais independentes aceitarem instantaneamente pagamentos online com códigos QR; fazer ligações de pagamento; gerar facturas e fazer o acompanhamento dos seus pagamentos”, refere a Revolut.

A Revolut anunciou o lançamento da conta Revolut Pro dedicada à gestão de receitas, pagamentos e despesas, dentro da app, para freelancers, empresários em nome individual, trabalhadores temporários e trabalhadores independentes, que procuram gerir mais facilmente, eficiente e convenientemente os fundos da empresa.

A Revolut Pro “oferece uma conta bancária gratuita dentro da aplicação de retalho Revolut, oferecendo maior acesso e conveniência para profissionais independentes que obtêm rendimento através do trabalho freelance“.

Lançado em oito países da Europa, o Revolut Pro oferece um cartão de débito com 1% de desconto, permite a aceitação de pagamentos em várias moedas usando códigos QR e  disponibiliza links de pagamento e modelos de faturação.

“Como as empresas e os consumidores utilizam cada vez mais pagamentos e cartões digitais em vez de dinheiro, o Revolut Pro permite aos profissionais independentes aceitarem instantaneamente pagamentos online com códigos QR; fazer ligações de pagamento; gerar faturas e fazer o acompanhamento dos seus pagamentos”, refere o comunicado.

“O mundo do trabalho está a tornar-se mais flexível. Os trabalhadores optam cada vez mais por trabalhar por conta própria, como freelancers ou trabalhadores temporários. As empresas estão a aumentar os seus orçamentos de freelancers no Reino Unido. Entretanto, estima-se que cerca de um em cada seis adultos que trabalham atualmente no trabalho em part-time pelo menos uma vez por semana”, realça a Revolut.

A empresa de serviços financeiros diz que “os bancos tradicionais têm sido lentos a desenvolver serviços para satisfazer as necessidades evolutivas do trabalhador flexível moderno que muitas vezes exige serviços mais sofisticados do que as contas bancárias de retalho ou de consumo, mas não pode pagar ou não precisa da complexidade de uma conta comercial completa”.

Inicialmente lançada no Reino Unido, Irlanda, França, Polónia, Espanha, Portugal, Roménia e Lituânia, a Revolut Pro é uma conta gratuita, sem taxas mensais, e sem requisitos de depósito ou saldo. “A conta pode ser criada em menos de dois minutos dentro do aplicativo da Revolut, e oferece um cartão de débito em dinheiro de 1% [e um IBAN associado]. Também permite aos utilizadores enviar transferências ou pagamentos imediatos para bancos externos, bem como para outras contas Revolut, de forma rápida e segura”, refere a empresa.

“Com Revolut Pro, os clientes podem gerir os seus fundos comerciais sem necessitarem de uma conta comercial completa”, detalha a companhia.

A Revolut Pro permite pagamentos em múltiplas moedas com um cartão físico ou virtual, Google Pay, e Apple Pay, para além de transferências de dinheiro.

A Revolut tem mais de 20 milhões de clientes do retalho.

 

Recomendadas

PremiumMontepio suspende projeto para retirar 700 milhões de malparado

Chama-se “Projeto Douro” e pretendia retirar do balanço do banco entre 600 a 700 milhões de imóveis e crédito malparado a grandes empresas. Mas o processo está parado e sem data de retoma.

Laginha de Sousa defende a tributação do carbono para alinhar os incentivos privados com os objetivos sociais

Numa intervenção nas ESG Talks, o ainda administrador do Banco de Portugal e futuro presidente da CMVM, Luís Laginha de Sousa, citou um estudo recente da consultora McKinsey, que constata que mais de 90% das empresas do S&P 500 publicam atualmente algum tipo de relatório sobre sustentabilidade ESG. 

Fundação Santander lança mil bolsas para curso de negócios digitais

A Fundação Santander lançou mil bolsas que dão acesso ao curso Digital Business Development do Técnico+ Formação Avançada, unidade de pós-graduação do Instituto Superior Técnico.
Comentários