Rio Tinto tem até 16 de janeiro para responder à acusação de burla em mina de Moçambique

“A próxima data relevante [neste processo] é 16 de janeiro, dia até quando os acusados são obrigados a responder ou negar a queixa da comissão”, disse hoje à agência Lusa a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC, na sigla em inglês).

A Rio Tinto, uma das maiores mineiras do mundo, e dois dos seus gestores têm até 16 de janeiro para responder à acusação de fraude na operação de compra de uma mina em Moçambique, por mais de 3.000 milhões de euros, avança a Lusa.

“A próxima data relevante [neste processo] é 16 de janeiro, dia até quando os acusados são obrigados a responder ou negar a queixa da comissão”, disse hoje à agência Lusa a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC, na sigla em inglês).

As autoridades americanas e inglesas acusam o antigo diretor executivo da Rio Tinto Tom Albanese e o seu diretor financeiro Guy Elliott de fraude por não revelarem aos acionistas da empresa o valor real da mina comprada por 3,7 mil milhões de dólares em 2011 (mais de 3.000 milhões de euros ao câmbio da altura).

Segundo a SEC, a empresa percebeu, um ano depois de concluído o negocio, que o valor da mina era muito abaixo do que tinha sido pago, mas acabou por só revelar essa informação em 2013.

A empresa acabou por vender a mina por apenas 50 milhões de dólares em 2014, depois de o seu diretor ter sido afastado do cargo (no seguimento de uma reavaliação dos bens da empresa em que o valor baixou 14 mil milhões de dólares).

Além de uma produção abaixo do previsto e da descida do preço do carvão nos mercados internacionais, contribuiu para a desvalorização da mina uma decisão do governo moçambicano relativamente ao transporte do material.

A empresa disse que “vai defender-se vigorosamente” nos tribunais americanos, mas já concordou pagar uma multa de 27 milhões de libras às autoridades britânicas.

 

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta segunda-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcaram o dia informativo desta segunda-feira.

Governo vai apresentar “em breve” medidas fiscais para o mercado de capitais

“O Governo apresentará em breve um conjunto de medidas fiscais mais concretas que apoiarão o desenvolvimento do mercado de capitais e da poupança de longo prazo em Portugal”, afirmou Fernando Medina, ministro das Finanças, esta segunda-feira.

ASF: Seguros e fundos de pensões vão ter papel importante no contexto atual

As declarações foram feitas durante a cerimónia de apresentação dos novos membros da ASF, nomeadamente Adelaide Marques Cavaleiro e Diogo Alarcão, mas também da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), realizada esta segunda-feira.
Comentários