“Rio vai ter que escolher se prefere ter como ministro da Justiça António Costa ou André Ventura”, diz líder do Chega

“Ninguém acha possível o PSD, CDS e IL conseguirem uma maioria absoluta. Vão precisar do Chega”, assegurou Ventura à “Rádio Renascença”.

Hugo Delgado/Lusa

O líder do Chega revelou em entrevista à “Rádio Renascença” que após as eleições legislativas o presidente do Partido Social Democrata (PSD) vai ter de escolher se prefere António Costa ou André Ventura como ministro da Justiça.

“Ninguém acha possível o PSD, CDS e IL conseguirem uma maioria absoluta. Vão precisar do Chega. Não sou eu que digo, são as sondagens. Quando, perante isto, Rio diz que prefere governar com o PS e não com o Chega, com tudo o que de mal o PS fez ao país, então percebe-se aquilo que eu tenho dito: por que razão Rui Rio votou 60% [das vezes] ao lado do PS [no Parlamento]. Identifica-se muito mais com o PS do que com o Chega. Eu não acho isso mal, só acho que os eleitores de direita têm de saber isso. Rui Rio prefere governar com António Costa do que com André Ventura. Na noite eleitoral, o que vai estar em causa é isto: Rio prefere ter como ministro da Justiça António Costa ou André Ventura?”, questionou André Ventura.

O presidente do Chega acrescentou ainda que “nem que Cristo desça à terra o Chega vai deixar de ser a terceira força nacional, nem que Rio durma para um lado, durma para o outro, grite para um lado, grite para outro. Dia 30 de janeiro, só tem de dizer uma coisa à noite. “Aceito governar com este Chega ou eu prefiro ir para a cama com António Costa”.

De facto as últimas sondagens têm apontado que o partido de Ventura será a terceira força política. Por exemplo, uma sondagem de 20 de dezembro da Rádio Renascença, coloca Ventura em terceiro lugar com 6,9% dos votos. Em primeiro fica o PS e em segundo o PSD.

Relacionadas

Legislativas: António Costa quer maioria absoluta

“O que eu acho que é fundamental para o futuro do país é que haja uma estabilidade para um governo para quatro anos”, destacou António Costa em entrevista à “CNN Portugal”.
Recomendadas

BE quer que beneficiários de bolsa de estudo do Ensino Superior recebam um complemento extraordinário

O BE quer que os estudantes que recebem apoios obtenham um complemento extraordinário no valor anual de 50% do valor do indexante dos apoios sociais.

Governo “condena a anexação pela Rússia dos territórios ucranianos”

Para o Governo a anexação dos territórios ucranianos à Rússia “constitui mais uma violação grosseira do Direito Internacional e dos princípios consagrados na Carta das Nações Unidas”.

PremiumPartidos convergem nos apoios às famílias e crescimento económico

Os partidos com assento parlamentar começam a definir as prioridades para o próximo Orçamento do Estado. Num quadro de incerteza, continuidade e necessidade de calibrar medidas é o elemento central do PS. Oposição reclama respostas ao acelerar da inflação.
Comentários