RioForte vai recorrer da decisão do Luxemburgo

A RioForte Investments S.A., do Grupo Espírito Santo (GES), anunciou que vai recorrer da decisão do Tribunal de Comércio do Luxemburgo que rejeitou o pedido de admissão da sociedade ao regime de gestão controlada. “Este recurso decorre da forte convicção da administração da RioForte que a gestão controlada serve melhor e de forma superior os […]

A RioForte Investments S.A., do Grupo Espírito Santo (GES), anunciou que vai recorrer da decisão do Tribunal de Comércio do Luxemburgo que rejeitou o pedido de admissão da sociedade ao regime de gestão controlada.

“Este recurso decorre da forte convicção da administração da RioForte que a gestão controlada serve melhor e de forma superior os interesses de todos os credores ao remunerar de forma mais vantajosa os créditos, programa de alienações e de reestruturação de dívida definido, figura negada pelo regime da insolvência”, refere a empresa em comunicado.

Segundo acrescenta, para a decisão de apresentação do recurso foi ainda “determinante a convicção” de que a gestão controlada, ao contrário da falência, permite uma “melhor salvaguarda do valor dos ativos aquando da sua alienação, atendendo à diversidade geográfica e setorial dos ativos em questão e ao benefício de envolvimento ativo das equipas de gestão atuais no processo”.

Adicionalmente, considera, a “definição de um prazo temporal de execução” de todo o processo, “sem colocar em causa o valor dos ativos”, poderá “agir no melhor interesse dos credores”.

Na base da decisão de recurso a RioForte diz ter estado ainda “a constatação de reações negativas à sentença do tribunal por parte de credores e investidores, evidenciando uma queda na expectativa do grau de recuperação de dívida face ao regime de gestão controlada em vigor até à referida decisão do tribunal”.

 

OJE/Lusa

Recomendadas

XTB não antevê eclosão de outra crise financeira global com a situação do Credit Suisse

“Na situação atual, a eclosão de outra crise financeira global como consequência do potencial colapso deste banco parece improvável, mas mesmo assim as consequências locais e a curto prazo do futuro questionável do Credit Suisse devem ser tidas em conta”, concluem os analistas da corretora.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quinta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quinta-feira.

TAP recua na mudança da frota automóvel e mantém os anteriores Peugeot mais um ano

“A comissão executiva da TAP compreende o sentimento geral dos portugueses”, explicou esta quinta-feira a companhia aérea. A decisão surge depois de vir a público que a empresa iria mudar os carros da administração e de outros gestores para a marca BMW.