Rocket Food destaca rápido crescimento no mercado português

“Trazemos valor aos parceiros. O nosso objetivo é dar-lhes a ganhar dinheiro”, explicou o diretor responsável pela expansão da Rocket na Europa.

A Rocket Food chegou a Portugal há um mês e o país já mostrou ser mais do que o esperado pela marca de entregas ao domicílio. Ao Jornal Económico, Javid Movsumov, responsável pela expansão da marca para a Europa, assumiu que Portugal mostrou ser o país com mais adesão inicial à altura do lançamento, apresentando também os melhores trabalhadores.

O diretor de expansão da empresa na Europa adiantou que antes da entrada em Portugal, realizou um estudo com a PwC de forma a perceber se o país seria um passo ideal para a marca. O estudo destacou um mercado atrativo, um ambiente competitivo e um elevado número de potenciais restaurantes aderentes.

Foi assim que a Rocket Food entrou em território nacional. Desde a sua entrada, Javid elogiou as condições oferecidas pelo país, o facto dos custos operacionais serem reduzidos e a grande adesão dos restaurantes portugueses.

A Rocket destacou que os restaurantes têm sido ótimos parceiros, inclusive a Telepizza, com quem conseguiu um contrato de entregas. De acordo com Javid, os restaurantes nacionais perceberam que a empresa tem mais valias para o sector, permitindo-lhes ganhar mais dinheiro do que em outra aplicação.

“Trazemos valor aos parceiros. O nosso objetivo é dar-lhes a ganhar dinheiro”, explicou o diretor. É com este objetivo bem fixo na mente que a marca soma mais de 100 restaurantes na aplicação de entregas.

Além do foco nos restaurantes, a empresa não esquece a outra vertente: os clientes. A Rocket Food não tem qualquer custo de entrega e ainda disponibiliza menus com descontos que podem ascender aos 70%, permitindo poupar algum dinheiro a quem peça comida.

Questionado sobre a possibilidade da contratação de estafetas como empregados da empresa, o diretor explica que esta pode ser uma possibilidade no futuro. Esta modalidade de empregar os estafetas iniciou-se na Grécia e a Rocket Food vai também ter empregados a tempo inteiro em Espanha, um mercado em que se vai lançar nos próximos meses a par da Hungria, e admite que gostaria a opção de vir a ter empregados a tempo inteiro está no seu radar.

O diretor da Rocket Food para a Europa fala ainda de uma possível expansão para outras cidades portuguesas como o Porto ou Faro, embora não queira adiantar pormenores sobre o assunto dado que aterraram em Lisboa há um mês.

Com a Rocket Food, toda a operação é feita de forma sustentável. As entregas são realizadas por bicicletas ou veículos elétricos, com a empresa a garantir a melhor sustentabilidade ambiental possível mas ao mesmo tempo mantém os tempos de entrega limitados, e as malas de transporte são produzidas através de materiais sustentáveis.

Relacionadas

Mercado português conta com mais uma app de entrega de refeições. Já são nove

App de origem holandesa vai entregar refeições em Lisboa, juntando-se às outras oito presentes em Portugal.
Recomendadas

EDP procura startups mais inovadoras na área da energia

Elétrica lança a 7ª edição do Free Electrons em busca de startups inovadoras. Candidaturas decorrem até 28 de janeiro.

Mitos que bloqueiam progressão feminina e dificultam diversidade de género nas empresas

Relatório da Mazars e Gender Balance Observatory desmistifica mitos em contexto laboral, entre os quais a falta de ambição e a aversão ao risco entre as mulheres, a questão da maternidade ou das quotas e a meritocracia.

Mercado automóvel cresce 1,8% entre janeiro e novembro, mas muito longe dos números pré-pandemia

Dados da ACAP revelam que em termos globais, o mercado automóvel regista um crescimento de 1,8% entre janeiro a novembro de 2022, face a igual período do ano anterior. De referir que 11,1% dos veículos ligeiros de passageiros novos são elétricos (BEV).
Comentários