Rui Rio espera que o Governo tenha “coragem” de apertar restrições caso o Natal “corra mal”

Em relação à vacina contra a Covid-19, o líder do PSD considera que existem limitações quanto aos locais onde será feita a vacinação, afirmando que “convinha que fosse feita em mais lugares, para lá do serviço nacional de saúde”.

Flickr/PSD

O presidente do PSD, Rui Rio, falou à saída da reunião com o Presidente da República sobre a renovação do Estado de Emergência, e considerou que o alívio das restrições durante a época de natal implementadas pelo Governo é “adequado” tendo em conta a importância da ocasião.

Mesmo concordando com o alívio das medidas durante o Natal, Rui Rio deixou um alerta ao Governo para que “tenha coragem para que, depois da passagem de ano, sejam implementadas novamente medidas mais rigorosas, caso se verifique que a abertura no Natal correu mal”.

Em relação à vacina contra a Covid-19, o líder do PSD considera que existem limitações quanto aos locais onde será feita a vacinação, afirmando que “convinha que fosse feita em mais lugares, para lá do serviço nacional de saúde”.

Sobre uma possível terceira vaga, Rio foi categórico e sublinhou que “prevenir a terceira vaga é uma questão de planeamento”. “Se em janeiro os números subirem, não é a terceira vaga, é a continuação da segunda e, nesse sentido, significa que as medidas implementadas pelo Governo não surtiram efeito”.

Relativamente à campanha dos candidatos à Presidência da República, Rui Rio diz estar confiante de que o candidato que apoia, Marcelo Rebelo de Sousa, vai cumprir com as medidas de segurança sanitária impostas pelo Governo. “Estou mais que certo”, comentou. Em relação aos restantes candidatos e a uma possível regulamentação promovida pela DGS para a eleição, Rui Rio não considera que haja necessidade, “mas caso aconteça, não me surpreende”.

Relacionadas
catarina_martins_oe_2020

BE pede uso da requisição civil para colocar “toda a capacidade de saúde” ao comando do SNS

Após ser recebida, no Palácio de Belém, em Lisboa, pelo Presidente da República sobre a renovação do estado de emergência, de 24 de dezembro até 07 de janeiro no âmbito da pandemia de covid-19, a coordenadora do BE, Catarina Martins disse ter transmitido a Marcelo Rebelo de Sousa que considera que janeiro vai ser “um mês particularmente difícil” e em que o Serviço Nacional de Saúde vai “sofrer uma pressão extraordinária”.

PCP anuncia voto contra novo estado de emergência mas deixa apelo à vacinação

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, reitera que o Serviço Nacional de Saúde (SNS) tem de ser reforçado e que havendo garantia de “segurança e eficácia” todos os portugueses devem ser vacinados.

Estado de emergência. CDS-PP mantém “abstenção preocupada com a saúde pública”

O vice-presidente do CDS-PP Sílvio Cervan diz que a saúde pública é a “primeira preocupação” do partido, mas alerta que é preciso minorar o impacto do combate à Covid-19 na economia, para que seja “o menor possível”.

PEV diz que “não haver motivos” para alterar voto contra estado de emergência

O líder parlamentar do Partido Ecologista “Os Verdes” (PEV), José Luís Ferreira, defende “o reforço das medidas de contenção” da pandemia, mas reitera que não se pode “confundir” medidas de contenção com estados de exceção.

“O Chega não poderá dar um voto em branco a este estado de emergência”, diz André Ventura

O deputado único e presidente do Chega, André Ventura, considera que as divergências “em questões de fundo” quanto às restrições aplicadas pelo Governo impedem o partido que lidera de votar a favor da renovação do estado de emergência e pede “estabilidade e previsibilidade” para o Natal. Admite ainda que as presidenciais possam decorrer “debaixo de um estado de emergência”.

“Não temos confiança neste Governo”. IL vai votar contra renovação do estado de emergência

O deputado único do Iniciativa Liberal, João Cotrim Figueiredo, reitera que as medidas adotadas não têm sido “suficientemente justificadas” e recusa-se a dar “tantos poderes” ao Governo para “usar a seu belo prazer” no combate à Covid-19.
Recomendadas

Covid-19: Mortalidade e internamentos estáveis, infeções com tendência crescente

A mortalidade e as hospitalizações por covid-19 continuam em níveis estáveis em Portugal, mas o país regista uma tendência crescente de novos casos de infeção, indica o relatório sobre a evolução da pandemia hoje divulgado.

Portugal registou 19.703 mil casos e 41 mortes de Covid-19 na última semana

A Direção-Geral da Saúde contabilizou mais 2.049 infeções e mais quatro óbitos em comparação à semana anterior.

Governo decide não renovar estado de alerta em território nacional

O ministro da Saúde justifica a decisão com “o elevado nível de vacinação na população portuguesa”.
Comentários