Rússia acusa Ocidente de a empurrar para um ‘default’ artificial (com áudio)

O Ministério das Finanças russo garante que direcionou fundos para fazer o pagamento dos Eurobonds antecipadamente, mas os beneficiários não os receberam devido a ações de intermediários financeiros estrangeiros, segundo a “Tass”. Assim, não há incumprimento por parte da Federação, defende.

Michael Parulava/Unsplash

A Rússia acusa o Ocidente de a empurrar para um ‘default’ artificial, segundo o Kremlin, citado pela “Reuters”. O Ministério das Finanças russo garante que direcionou fundos para fazer o pagamento dos Eurobonds antecipadamente, mas os beneficiários não os receberam devido a ações de intermediários financeiros estrangeiros e tal não pode ser tratado como incumprimento, avançou a “Tass”.

“De acordo com a documentação de emissão para as questões mencionadas, o caso de incumprimento é a falta de pagamento do lado do devedor, mas o pagamento foi feito antecipadamente — em 20 de maio de 2022. Nesse caso, os investidores não receberam os recursos por causa de terceiros e não por falta de pagamento, o que não está expressamente previsto na emissão da documentação e deve ser considerado no âmbito das normas gerais de direito que regulam as condições da emissão, com consideração de todas as circunstâncias e boa-fé nas ações das partes”, disse o Ministério no site oficial.

“Considerando que as ações de intermediários financeiros estrangeiros estão fora do controlo do Ministério das Finanças da Rússia, parece razoável que os investidores se aproximem diretamente das instituições financeiras relevantes em caso de falha na receção de pagamentos de Eurobonds da Federação Russa”, acrescentou.

As declarações surgem depois de a “Bloomberg” ter avançado que a Rússia não pagou aos credores, estando em incumprimento com dívida em moeda estrangeira em mais de 100 anos. Em causa está o pagamento de 100 milhões de dólares.

Recomendadas

Inflação na zona euro acelera para 8,9% em julho. Portugal está acima (com áudio)

A inflação registada em Portugal superou a taxa verificada ao nível da zona euro, adianta esta quarta-feira o Eurostat. Preços têm estado a disparar, pelo que vários países já avançaram com apoios às famílias e às empresas.

Revista de imprensa nacional: as notícias que estão a marcar esta quinta-feira

Portugal vai enfrentar uma onda de calor extremo entre cinco a dez dias; Pichardo campeão da Europa; Centros comerciais rejeitam fechar mais cedo para poupar energia

Topo da Agenda: o que não pode perder nos mercados e economia esta quinta-feira

Destaque do dia para a divulgação dos dados da inflação no mês de julho que tem vindo a atingir níveis recorde nos últimos meses.
Comentários