Escândalo do doping: Rússia vai poder competir no Euro 2020, mas está banida do Mundial de 2022

A Rússia foi excluída dos Jogos Olímpicos e mundiais de futebol nos próximos quatro anos, mas vai poder participar no Euro 2020. Os atletas que puderem provar que não estão incluídos no escândalo de doping podem competir com bandeira neutra.

A Rússia foi esta segunda-feira excluída dos Jogos Olímpicos durante quatro anos, devido a questões de doping levadas a cabo com o apoio estatal tornadas públicas há cerca de seis anos, segundo um anúncio da Agência Mundial Antidopagem (AMA).

O país não vai competir em várias provas como os Jogos Olímpicos de Verão em Tóquio de 2020, os Jogos de Inverno de Pequim em 2022 ou o Mundial de Futebol no Qatar em 2022. Mas vai poder competiro no Europeu de Futebol em 2020.

Contudo, e de acordo com a “BBC”, os atletas que não estejam incluídos neste escândalo de doping podem vir a competir com uma bandeira neutra. Algo que já aconteceu nos Jogos Olímpicos de Inverno de 2018 em Pyeongchang, quando 168 atletas competiram com a também denominada bandeira olímpica, depois do país ter sido banido após os JO de 2014, sediados em Sochi. Os atletas russos conquistaram 33 medalhas em Sochi, 13 das quais eram de ouro.

O comité executivo de Wada tomou a decisão unânime numa reunião realizada em Lausanne, na Suíça. Esta decisão é passível de recurso para o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS), nos próximos 21 dias.

A decisão da AMA ocorre depois da Agência Antidopagem da Rússia (Rusada) ter manipulado os dados de laboratório entregues aos investigadores em janeiro de 2019. A Rússia foi proibida de competir como nação no atletismo desde 2015.

Apesar da proibição, a Rússia poderá competir na Euro 2020, na qual São Petersburgo será uma cidade-sede -, pois a UEFA, órgão governamental do futebol europeu, não é definido como uma ‘organização de grandes eventos’ no que diz respeito a decisões sobre violações antidopagem.

Recomendadas

Grupo de direitos das mulheres apela à FIFA que exclua Irão do Campeonato do Mundo

“Por que a FIFA daria ao Estado iraniano e aos seus representantes um palco global, enquanto não apenas se recusa a respeitar os direitos humanos e dignidades básicos, mas atualmente está a torturar e matar o seu próprio povo?”, questionam na carta enviada ao representante do organismo.

Violência no futebol: o que muda com as novas leis? Veja o “Jogo Económico”

Vêm aí novas leis destinadas ao combate da violência no desporto e nesta edição, vamos conhecer ao detalhe as medidas que estão a ser preparadas para o Governo e perceber se se adequam à realidade do fenómeno em Portugal. Daniel Seabra, antropólogo e professor universitário com obra publicada sobre o fenómeno das claques em Portugal, é o convidado do “Jogo Económico”.

SAD Sporting aprova contas, remunerações e nova direção sem Holdimo

A SAD do Sporting aprovou os 11 pontos discutidos na Assembleia Geral da sociedade, que terminou durante a madrugada desta sexta-feira, entre as quais as contas, as remunerações e o novo conselho de administração para 2022-2026, sem a Holdimo.
Comentários