Rússia colheu 949 milhões de euros em trigo ucraniano este ano, indica a NASA

A Rússia colheu cerca de mil milhões de dólares (949 milhões de euros) em trigo ucraniano desde o início do ano, o que corresponde a aproximadamente 5,8 toneladas deste cereal, segundo dados da NASA.

Jason Reed/Reuters

“Aanálise mostrou que 5,8 milhões de toneladas de trigo foram colhidas em áreas que não estavam sob o controle ucraniano. Isto representa uma perda de 1.000 milhões de dólares”, lê-se numa nota publicada no ‘site’ do NASA Harvest, o programa de agricultura e segurança alimentar da agência aeroespacial dos Estados Unidos.

O NASA Harvest inclui dados de satélite e modelos produzidos em colaboração com agências parceiras.

No total, a colheita de trigo ucraniano ascendeu a 27 milhões de toneladas este ano, abaixo do recorde de 33 milhões de toneladas, registado em 2021.

Citado na mesma nota, o investigador e consultor do NASA Harvest Joseph Glauber referiu que a estabilização do preço global do trigo no verão pode ser justificada pela diminuição da procura e aumento da oferta.

Ainda assim, alertou que tal não significa que a “crise alimentar acabou”, notando que os “preços internacionais dos alimentos permanecem historicamente altos”.

Recomendadas

Presidente croata condena envio de armas ocidentais para a Ucrânia

Zoran Milanovic criticou as políticas ocidentais em relação à Rússia mas também a forma como a Europa está a atuar nos Balcãs. O presidente adverte que é a Europa e não os Estados Unidos que está a pagar a fatura da guerra.

Ucrânia. Presidente checo apoia entrada na NATO e ajuda militar “quase sem limites”

Petr Pavel disse que a ajuda militar à Ucrânia deve acontecer “quase sem limites”, mas tem dúvidas de que os caças F-16 possam chegar a tempo de ajudarem a defender o território ucraniano.

Ucrânia. Joe Biden nega envio de caças F-16 para apoiar na guerra

O presidente dos EUA deixou a garantia de que não vai enviar aquelas aeronaves de combate. Por outro lado, o presidente francês reúne hoje com o ministro da Defesa ucraniano e fez saber que não tomou ainda uma decisão.
Comentários