Rússia concretiza anúncio e não reativa gasoduto Nord Stream

A Gazprom, que controla o gasoduto que liga a Rússia à Alemanha sob o Mar Báltico, cumpre assim o anúncio feito na sexta-feira de que pararia “completamente” o fornecimento de gás através do Nord Stream devido a “fugas de óleo” detetadas numa turbina durante a operação de manutenção da única unidade compressora que ainda estava em funcionamento.

Reuters

O grupo russo Gazprom concretizou este sábado o anúncio feito na sexta-feira de que suspenderia, até novo aviso, o fornecimento à Europa através do gasoduto Nord Stream e não retomou o fluxo de gás esta madrugada, conforme inicialmente previsto.

Segundo dados operacionais recolhidos pela Nord Stream AG, empresa gestora da infraestrutura, com sede na Suíça, todas as indicações para cada faixa horária durante o dia de hoje estão a zero.

A Gazprom, que controla o gasoduto que liga a Rússia à Alemanha sob o Mar Báltico, cumpre assim o anúncio feito na sexta-feira de que pararia “completamente” o fornecimento de gás através do Nord Stream devido a “fugas de óleo” detetadas numa turbina durante a operação de manutenção da única unidade compressora que ainda estava em funcionamento.

Devido a esta operação de manutenção, o gasoduto – vital para os fornecimentos à Europa – deveria ter ficado inativo durante três dias e retomar hoje a operação, pelas 04h00 de Moscovo (01h00 GMT).

Esta retoma seria feita nos níveis anteriores, ou seja, a 20% da sua capacidade, ou 33 milhões de metros cúbicos por dia, algo que não acabou agora por não acontecer, com a Rússia a alegar que a fuga de óleo não garante uma operação segura.

Segundo assegura a Gazprom, a eliminação completa das fugas de óleo na turbina “só é possível” numa fábrica especializada do fornecedor alemão Siemens.

No entanto, a empresa alemã garantiu que não há motivos técnicos para parar o gasoduto, pois normalmente esse tipo de fugas não afeta o funcionamento de uma turbina e pode ser vedado ‘in loco’, numa operação de rotina.

Da mesma forma, a União Europeia também não acredita no motivo avançado para o corte de gás, classificando-o como uma “falácia”.

A Gazprom tem reduzido o gás fornecido via Nord Stream nos últimos meses e em julho já tinha feito trabalhos de manutenção durante 10 dias, tendo depois retomado as entregas com um nível mais limitado.

No contexto de guerra na Ucrânia, a energia tem estado no centro de um braço-de-ferro entre Moscovo e os países ocidentais, que acusam a Rússia de utilizar o gás “como uma arma”.

Recomendadas

Receitas das estações de serviço na Ibéria cresceram 29% em 2021 devido à subida dos preços

De acordo com a análise que a Informa D&B realizou a este setor, em 2021 o mercado ibérico registou um aumento significativo de 10,6% face a 2020 no volume das vendas de gasolina e gasóleo, que corresponde a 38,30 milhões de toneladas de combustível.

Dona da Betano celebra primeiro ano da TechHub de Lisboa com reforço das equipas

O Tech Hub da Kaizen Gaming em Lisboa já emprega trinta pessoas e o objetivo passa por continuar a crescer no mercado português. Nesse sentido, serão abertas vagas para diversas funções.

PremiumFintech House muda de sede para duplicar número de startups

‘Joint venture’ da associação Portugal Fintech e da rede de espaços de trabalhos partilhados Sitio investiu perto de um milhão de euros na mudança do edíficio na Praça da Alegria para o da Avenida Duque de Loulé, com dez pisos e mais de 2 mil metros quadrados.
Comentários