Rússia critica “caráter imperialista” da estratégia de segurança dos Estados Unidos

“O caráter imperialista do documento é evidente, assim como é evidente que os Estados Unidos recusam renunciar ao ‘mundo unipolar’. Uma recusa que é constante”, disse hoje o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov.

O Kremlin denunciou esta terça-feira o “caráter imperialista” do relatório sobre a estratégia de Segurança Nacional dos Estados Unidos acusando Washington de estar preso à ideia de um “mundo unipolar”.

“O caráter imperialista do documento é evidente, assim como é evidente que os Estados Unidos da América recusam renunciar ao ‘mundo unipolar’. Uma recusa que é constante”, disse hoje o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov. O porta-voz sublinhou que as autoridades de Moscovo “não podem aceitar que a Rússia seja tratada como uma ameaça à segurança dos Estados Unidos”.

Donald Trump apontou a China e a Rússia como concorrentes a nível estratégico. No discurso em Washington, sobre segurança, o presidente dos Estados Unidos considerou os dois países como “poderosos rivais” que podem eventualmente constituir potenciais ameaças contra os Estados Unidos.

Da mesma forma, a República Popular da China pediu hoje aos Estados Unidos para abandonar a “mentalidade da Guerra Fria” e tratar das divergências de forma construtiva respondendo ao presidente norte-americano que considerou o país “rival” e “concorrente estratégico”.

Relacionadas

EUA ajudaram a evitar ataque bombista na Rússia, dizem Kremlin e Casa Branca

Segundo as autoridades russas, o alerta do governo norte-americano permitiu que as agências de segurança do país prendessem os suspeitos antes destes levarem os seus planos a cabo.

Trump vai nomear China e Rússia como “competidores”

A nova Estratégia de Segurança Nacional dos EUA, a ser apresentada esta segunda-feira por Trump, vê estes dois países como potências que procuram alterar o equilíbrio de poder global no sentido prejudicial aos interesses americanos.
Recomendadas

Agência de Energia e Irão retomam contacto em Viena

O diretor da Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA), Rafael Grossi, reuniu-se com o chefe do programa nuclear iraniano, Mohammad Eslami, para retomar os contactos e esclarecimentos.

São Tomé: CPLP diz que comissão eleitoral é soberana na divulgação de resultados

O chefe da missão de observação eleitoral da CPLP, o embaixador Rafael Vidal, disse que a lei são-tomense não obriga à divulgação dos resultados provisórios antes da contagem nos distritos.

Parlamento eslovaco aprova adesão de Finlândia e Suécia à NATO

O parlamento eslovaco aprovou hoje a entrada da Suécia e da Finlândia na NATO, indicou o ministro dos Negócios Estrangeiros e Europeus, Ratislav Kacer, em mensagem no Twitter.
Comentários