Rússia enfrenta pior recessão económica desde 1994

Com os novos dados, é esperado que o Produto Interno Bruto (PIB) do país diminua 12% — uma previsão mais pessimista quando comparada à queda de 8% antecipada pelo ministério da Economia russo.

6. Moscovo, Rússia

À medida que aumenta a pressão das sanções impostas pelos países do ocidente, a Rússia poderá estar a caminho da maior contração económica em quase três décadas, de acordo com uma previsão interna do ministério das Finanças russo, citada pela “Bloomberg”.

Com os novos dados, é esperado que o Produto Interno Bruto (PIB) do país diminua 12% — uma previsão mais pessimista quando comparada à queda de 8% antecipada pelo ministério da Economia russo.

O ministério das Finanças emitiu um comunicado esta terça-feira, 10 de maio, onde afirma que o relatório de previsão é impreciso. “A preparação de previsões macroeconómicas oficiais não é da competência do ministério das Finanças”, referindo que “espera que as medidas tomadas pelo governo e pelo Banco da Rússia permitam atenuar em grande medida as consequências negativas das sanções e garantir um desenvolvimento económico estável”.

A confirmar-se, uma contração de 12% colocaria a economia russa no mesmo patamar sentido no início dos anos 1990, quando a economia da era soviética perdeu terreno para o capitalismo com uma contração não vista desde a guerra.

“Os principais pontos negativos são o embargo do petróleo, a UE desistir do gás russo, além das saídas de empresas estrangeiras”, disse Natalia Lavrova, economista-chefe do BCS Financial Group em Moscovo. “Tudo isso provavelmente expandirá gradualmente, com muitas consequências negativas a arrastarem-se para 2023″.

Excluindo os fatores anteriormente mencionados e, com base apenas nas sanções atuais, a economista prevê uma contração de 10,8% em 2022 e cerca de 5% em 2023.

O Banco da Rússia disse em 29 de abril que espera uma contração entre 8% e 10% este ano. O Fundo Monetário Internacional previu uma queda de 8,5%, enquanto um inquérito da “Bloomberg” com economistas antecipa um declínio médio de 10,3%.

Se a previsão do ministério das Finanças se confirmar, significaria um retrocesso de uma década de crescimento económico.

A incerteza sobre as perspetivas permanece muito alta à medida que a guerra continua e os EUA e seus aliados discutem e avançam com mais sanções, inclusive sobre exportações importantes como petróleo.

Recomendadas

Ucrânia: Macron e Scholz pedem a Putin libertação de 2.500 militares de Azovstal

O presidente francês, Emmanuel Macron, e o chanceler alemão, Olaf Scholz, pediram este sábado ao presidente russo Vladimir Putin para libertar 2.500 combatentes ucranianos que estavam na fábrica de aço Azovstal, em Mariupol, e foram feitos prisioneiros pelos russos.

Europa devia olhar para África para reduzir dependência do gás russo

“A Europa na minha opinião devia olhar para áfrica. A África tem imenso gás”, disse o presidente do Banco Africano de Desenvolvimento.

Rússia testa míssil hipersónico que Putin considera “invencível”

O míssil Zircon foi disparado da fragata Almirante Gorshkov no Mar de Barents contra um alvo nas águas árticas do Mar Branco, segundo informações avançadas pelo Ministério da Defesa russo num comunicado citado pela agência de notícias France Presse (AFP).
Comentários