Rússia garante “proteção total” aos territórios anexados por Moscovo

As declarações de Sergei Lavrov, proferidas na Assembleia Geral da ONU em Nova Iorque, no passado sábado, surgem numa altura em que a Rússia dá sinais de querer escalar o conflito com a Ucrânia, nomeadamente com a ameaça de Putin em usar armas nucleares, bem como os recentes referendos que visam anexar diversos territórios na Ucrânia.

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Sergei Lavrov, garantiu que as regiões anexadas por Moscovo através de referendos terão “proteção total” daquele país.

As declarações de Sergei Lavrov, proferidas na Assembleia Geral da ONU em Nova Iorque, no passado sábado, surgem numa altura em que a Rússia dá sinais de querer escalar o conflito com a Ucrânia, nomeadamente com a ameaça de Putin em usar armas nucleares, bem como os recentes referendos que visam anexar diversos territórios na Ucrânia.

A Rússia lançou na sexta-feira referendos em quatro regiões do leste da Ucrânia com o objetivo de anexar o território daquele país, os quais estão a ser repudiados pela maioria dos países do ocidente. Por seu turno, Kyiv garante que os ucranianos estão a ser obrigados a votar e não lhes é permitido deixar as regiões durante o período de votação, que terá a duração de quatro dias.

“Após esses referendos, é claro que a Rússia irá respeitar o livre-arbítrio daquelas pessoas que há muitos anos sofrem com os abusos do regime neonazi”, justificou Lavrov, citado pela “Reuters”.

Questionado se a Rússia teria motivos para usar armas nucleares para defender as regiões anexadas da Ucrânia, Lavrov disse que o território russo, inclusive o território anexado na Constituição da Rússia no futuro, “está sob a proteção total do Estado”.

“Todas as leis, doutrinas, conceitos e estratégias da Federação Russa aplicam-se a todo o seu território”, acrescentou o ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, referindo-se também especificamente à doutrina russa sobre o uso de armas nucleares.

O seu homólogo na Ucrânia, Dmytro Kuleba, afirmou no Twitter que os comentários de Lavrov e de Vladimir Putin no que diz respeito ao uso de armas nucleares pela Rússia são “irresponsáveis” e “absolutamente inaceitáveis”.

“A Ucrânia não vai ceder. Apelamos a todas as potências nucleares que se manifestem agora e deixem claro para a Rússia que tais retóricas colocam o mundo em risco e não serão toleradas”, acrescentou o governante ucraniano.

Recomendadas

Ucrânia: Sistema energético estabilizado após dias sem luz devido a ataques russos

A invasão foi condenada pela comunidade internacional, que respondeu, com destaque para a União Europeia e os Estados Unidos, com ajuda militar, humanitária e económica a Kiev e a imposição de sanções económicas e políticas sem precedentes a Moscovo.

Ucrânia: Rússia anuncia morte de “uma centena de mercenários estrangeiros” em Donetsk

“Até 100 mercenários estrangeiros e seis veículos blindados foram destruídos na área de Chasiv Yar em resultado de um ataque com armas de alta precisão das forças aeroespaciais russas nos locais temporários de treino dos chamados milicianos da Legião Estrangeira”, declarou o porta-voz do exército russo, general Igor Konashenkov.

União Europeia paga transporte de cereais ucranianos para países vulneráveis

A iniciativa pretende fornecer cereais gratuitos a pelo menos cinco milhões de pessoas, em países como o Sudão, o Iémen, o Quénia e a Nigéria até ao final da primavera de 2023.
Comentários