Rússia “não invadiu a Ucrânia”, diz Lavrov

Numa rara entrevista a um meio de comunicação ocidental, o braço-direito de Vladimir Putin insistiu numa narrativa obediente à linha oficial do Kremlin sobre a realização da “operação militar especial” levada a cabo para “desnazificar” o país vizinho.

POOL/Reuters

O ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Sergei Lavrov, rejeitou ontem, quinta-feira, que a Federação Russa tenha invadido a Ucrânia e que a situação vivida no leste da Europa não é como parece, segundo a “BBC”.

“Não invadimos a Ucrânia”, declarou o braço-direito de Vladimir Putin, insistindo numa narrativa obediente à linha oficial do Kremlin sobre a necessidade de “desnazificação” do país vizinho através da “operação militar especial” ordenada por Moscovo.

“Declarámos uma operação militar especial porque não tínhamos absolutamente outra forma de explicar ao Ocidente que arrastar a Ucrânia para a NATO era um ato criminoso”, explicou Lavrov numa das raras entrevistas a meios de comunicação ocidentais desde a invasão da Ucrânia, no dia 24 de fevereiro.

Lavrov foi confrontado pela estação britânica com números presentes num relatório oficial das Nações Unidas sobre a aldeia ucraniana de Yahidne, na região de Chernihiv, que refere que “360 residentes, incluindo 74 crianças e cinco pessoas com deficiência, foram forçados pelas forças armadas russas a permanecer durante 28 dias na cave de uma escola”, “sem instalações sanitárias e água”, onde “dez pessoas mais velhas morreram”.

“É uma grande pena (…) Mas os diplomatas internacionais, incluindo o Alto Comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos, o Secretário-Geral da ONU e outros representantes da ONU, estão a ser pressionados pelo Ocidente. E muito frequentemente estarem a ser utilizados para amplificar notícias falsas espalhadas pelo Ocidente”, respondeu o chefe da diplomacia russa.

“A Rússia não está limpa. A Rússia é o que ela é. E nós não temos vergonha de mostrar quem somos”, sublinhou o governante de 72 anos, que tem ocupado o cargo nos últimos 18 anos.

Recomendadas

Bruxelas prepara plano de emergência para precaver corte total de gás russo (com áudio)

A presidente da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen, anunciou hoje perante o Parlamento Europeu que o seu executivo vai apresentar este mês um plano de emergência europeu para precaver um eventual corte total de fornecimento de gás russo.

Modelo, atriz e sniper. Quem era a brasileira que perdeu a vida na Ucrânia?

Thalita do Valle, de 39 anos, lutava ao lado das forças ucranianas em Kharkiv. A cidade foi atacada e a mulher não resistiu.

Erdogan vai “intensificar” negociações para garantir exportação de cereais da Ucrânia

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, disse esta terça-feira que pretende “intensificar” as negociações com Rússia e Ucrânia para garantir um acordo sobre o plano da ONU para a exportação de cereais ucranianos para o mercado mundial.
Comentários