Rússia ordena saída de três diplomatas da Eslováquia em retaliação a decisão semelhante de Bratislava

Em meados de março, o ministério dos Negócios Estrangeiros da Eslováquia ordenou a saída de três funcionários russos da representação diplomática da Rússia no país, a quem foram dadas 72 horas para abandonar o país, à imagem do prazo agora anunciado pelo Kremlin.

Reuters

O Kremlin decidiu expulsar três diplomatas da Eslováquia em retaliação à decisão paralela tomada há cerca de duas semanas por Bratislava, anunciou esta segunda-feira o ministério dos Negócios Estrangeiros russo.

De acordo com a “Reuters”, os três funcionários da Embaixada da Rússia na Eslováquia foram informados de que deverão deixar Moscovo no máximo até às 72 horas seguintes ao momento da notificação.

Em meados de março, o ministério dos Negócios Estrangeiros da Eslováquia ordenou a saída de três funcionários russos da representação diplomática da Rússia no país, a quem foram dadas 72 horas para abandonar o país, à imagem do prazo agora anunciado pelo Kremlin.

Na semana passada, a Polónia avançou com uma decisão semelhante motivada por um caso de espionagem, depois de a Agência para a Segurança Interna (ABW) ter identificado 45 pessoas — oficiais dos serviços secretos russos e indivíduos com ligações aos mesmos — que usufruíram do estatuto de diplomatas no país.

 

Recomendadas

Zelensky desloca-se hoje ao Reino Unido e vai encontrar-se com Sunak

Depois do Reino Unido, espera-se que Volodymyr Zelensky se desloque até Bruxelas amanhã, onde se irá voltar a encontrar com Charles Michel e Ursula von der Leyen. Ainda assim, a visita de quinta-feira ainda é uma incógnita, uma vez que a viagem deveria ter sido mantida em segredo.

Ucrânia: Portugal abriu 103 processos envolvendo crianças e três estão em famílias de acolhimento

Desde que começou a guerra na Ucrânia, a 24 de fevereiro do ano passado, Portugal atribuiu 14.082 proteções temporárias a menores ucranianos, representando cerca de 25% do total dos refugiados que fugiram do conflito.

Ucrânia: Programa levará crianças ucranianas a passar férias em Portugal

“Como um país seguro, Portugal foi visto como uma boa opção para organizar o programa, pelo que vamos preparar tudo para responder a esta necessidade, procurando que Portugal seja mais uma vez um espaço de acolhimento”, apontou Ana Mendes Godinho.
Comentários