Rússia pode eliminar limite de idade para soldados de forma a reforçar força de invasão à Ucrânia

A lei do governo da Rússia Unida também pretende facilitar o recrutamento de médicos civis, engenheiros e especialistas em operações.

Altos funcionários russos avançaram com uma proposta para uma nova lei que eliminaria os limites de idade para soldados contratados, um sinal de que o país enfrenta escassez de infantaria para continuar a ofensiva na Ucrânia.

Dois membros do partido do governo da Rússia Unida, que apresentaram a lei, disseram, segundo o “The Guardian”, que a medida permitiria que os militares utilizassem as habilidades de profissionais mais velhos.

“Para o uso de armas de alta precisão, operação de armas e equipamentos militares, são necessários especialistas altamente profissionais. A experiência mostra que os sodados tornam-se assim aos 40-45 anos”, explicaram.  Atualmente, russos de 18 a 40 anos e estrangeiros de 18 a 30 anos podem fazer um primeiro contrato com o exército.

Os legisladores acrescentaram que a proposta de lei também facilitaria o recrutamento de médicos civis, engenheiros e especialistas em operações e comunicações.

Especialistas militares dizem que a Rússia enfrenta perdas insustentáveis ​​nas suas tropas e equipamentos na Ucrânia após uma série de reveses militares que forçaram Moscovo a reduzir os seus objetivos de guerra.

Em fevereiro, quando começou a guerra, a Rússia inicialmente colocou cerca de 80% das suas principais forças de combate terrestre, 150.000 homens, na guerra em fevereiro. Nos 82 dias desde então, a Rússia “ sofreu perdas de um terço da força de combate terrestre que cometeu”, afirmou a inteligência militar britânica na semana passada.

“A Rússia carece de unidades terrestres suficientes com soldados contratados para uma rotação sustentável. As tropas estão ficando exaustas – elas não vão conseguir manter isso por um longo período”, garantiu Rob Lee, analista militar.

Recomendadas

Caos nos aeroportos. Alemanha procura trabalhadores estrangeiros temporários para responder a falta de mão-de-obra

A Alemanha planeia recrutar vários milhares de trabalhadores temporários da Turquia para responder à falta de mão-de-obra nos aeroportos este verão, problema que está a causar graves perturbações em toda a Europa, segundo fontes do Governo citadas pelo “The Guardian”. O ministro do Trabalho, Hubertus Heil, disse que, segundo o esquema do Executivo, os empregadores […]

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta segunda-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta segunda-feira.

“Temos que mostrar que somos mais duros que Putin”. Conversa em off entre líderes mundiais anima cimeira do G7 (com vídeo)

Nestas imagens registadas pela agência “AFP”, são audíveis os comentários em off (declarações fora das reuniões formais) com o mote a ser dado pelo primeiro-ministro britânico, Boris Johnson. Vladimir Putin é o principal visado nesta conversa informal. Veja o vídeo completo.
Comentários