Rússia quer controlar Donbas e sul da Ucrânia. Mariupol é peça-chave (com áudio)

A conquista de Mariupol, já anunciada pelo Kremlin, faz parte da estratégia para a criação de um corredor no litoral sul do país, revelou comandante militar russo.

A Rússia quer assegurar o controlo de toda a região do Donbas e também do sul da Ucrânia durante a segunda fase da invasão ao país vizinho, revelou um comandante militar russo, de acordo com o “Interfax” citado pela “Reuters”.

Tal como já se perspetivava, o comandante Rustam Minnekayev confirmou que a Rússia está a planear formar um corredor entre o Donbas e a Crimeia, território ucraniano que anexou em 2014.

A conquista de Mariupol, já anunciada pelo Kremlin, faz parte da estratégia para a criação desse mesmo corredor. A cidade portuária era a única no caminho da Rússia que impedia a criação do corredor de ligação.

O comandante assegurou ainda que o controlo de todo o sul ucraniano melhorava o acesso à região moldava de Transnístria, apoiada por separatistas. Esta região da Moldávia faz fronteira direta com a Ucrânia, e o governo ucraniano teme que Transnístria possa ser utilizada para novos ataques.

“O controlo sobre o sul da Ucrânia é outro caminho para Transnístria, onde também há evidências de que a população de língua russa está a ser oprimida”, apontou o comandante.

Recomendadas

Severodonetsk “totalmente ocupada” pela Rússia, segundo autarca

A cidade de Severodonetsk, no leste da Ucrânia, está “totalmente ocupada” pelas forças russas após semanas de combates intensos, segundo informações do presidente da câmara, Oleksandr Stryuk.

Condenação do estatuto de candidato à UE revela fraqueza do Kremlin

O ministro dos Negócios Estrangeiros ucraniano afirmou este sábado que a condenação do Kremlin de uma “garra geopolítica” dirigida à Rússia, na sequência da atribuição à Ucrânia e à Moldova de estatuto de candidato à UE “mostra a sua fraqueza”.

Ucrânia. Exército acusa Bielorrússia de bombardear a região fronteiriça de Chernigiv

A Bielorrússia, aliado diplomático de Moscovo, bombardeou a região fronteiriça de Chernigiv, na Ucrânia, a nordeste de Kiev, disse este sábado o Exército ucraniano, acrescentando que o ataque não causou vítimas e afetou uma infraestrutura.
Comentários