Ryanair: Pilotos portugueses ameaçam fazer greve

Os pilotos portugueses são os primeiros da companhia aérea a ameaçar a realização de greve, mas até ao momento esta ainda não foi marcada.

Os pilotos portugueses da Ryanair votaram a favor de uma acção coletiva, incluindo a possibilidade de convocação de greve, em protesto contra a recusa da companhia aérea em negociar com os seus representantes sindicais.

Num comunicado, o Sindicato dos Pilotos de Aviação Civil afirma que os pilotos tem feito esforços no sentido de negociar com a empresa para resolver os problemas que levaram ao cancelamento de milhares de voos da companhia. O SPAC diz representar uma “clara maioria” dos pilotos da Ryanair em Portugal, e que na passada quinta-feira se reuniram para atribuir ao SPAC um mandato para negociar um Contrato Coletivo de Trabalho com a empresa.

Os pilotos portugueses são os primeiros da Ryanair a ameaçar a realização de greve, mas até ao momento esta ainda não foi marcada.

Em resposta à posição do SPAC, a Ryanair declarou que “recebemos regularmente ameaças de acção coletiva de sindicatos de pilotos de companhias áereas concorrentes de Itália, Portugal, e até ocasionalmente da Aer Lingus. Tanto nós como os pilotos ignoramos essas cartas.”

Recomendadas

Mitos que bloqueiam progressão feminina e dificultam diversidade de género nas empresas

Relatório da Mazars e Gender Balance Observatory desmistifica mitos em contexto laboral, entre os quais a falta de ambição e a aversão ao risco entre as mulheres, a questão da maternidade ou das quotas e a meritocracia.

Mercado automóvel cresce 1,8% entre janeiro e novembro, mas muito longe dos números pré-pandemia

Dados da ACAP revelam que em termos globais, o mercado automóvel regista um crescimento de 1,8% entre janeiro a novembro de 2022, face a igual período do ano anterior. De referir que 11,1% dos veículos ligeiros de passageiros novos são elétricos (BEV).

Grupo SATA integra projeto Cluster Grace Açores

Associados e membros do cluster partilham boas-práticas e desenvolvem sinergias com o objetivo de colocar os temas da Agenda 2030, 2050 e ESG (Environmental, Sustainability and Governance) como prioritários nas agendas das empresas.
Comentários