Nuno da Silva Vieira: Que impacto terá a revolução digital no sistema de Justiça? Hoje há “Falar Direito” às 11h00

Estas e outras questões serão abordadas na edição desta semana do “Falar Direito”, com a ajuda do advogado Nuno da Silva Vieira, sócio da Antas da Cunha ECIJA, numa entrevista conduzida por Filipe Alves, diretor do JE. Não perca o “Falar Direito”, esta segunda-feira a partir das 11h00.

Cristina Bernardo

As novas tecnologias estão a revolucionar a advocacia, trazendo todo um novo mundo de desafios e oportunidades. Qual será o impacto da revolução digital no sistema de Justiça e na forma como os advogados trabalham? Que novas profissões jurídicas irão surgir? E quais as vantagens para os cidadãos e para as empresas?

Estas são algumas das questões que vamos abordar na edição desta semana do Falar Direito, com a ajuda do advogado Nuno da Silva Vieira, sócio da Antas da Cunha ECIJA, numa entrevista conduzida por Filipe Alves, diretor do JE.

Nuno da Silva Vieira é um dos juristas portugueses que mais se têm destacado na análise do impacto e do papel que a tecnologia terá no mundo do Direito, sendo atualmente o coordenador executivo do programa de Blockchain e Smart Contracts da Universidade Nova de Lisboa.

O mundo da advocacia está em destaque no programa “Falar Direito”, podcast semanal da plataforma multimédia JE TV, que conta também com uma versão em podcast, com apresentação de Filipe Alves e Mariana Bandeira.

Recomendadas

Ordem dos Advogados alerta conselhos regionais para “desequilíbrios orçamentais”

Segundo a Ordem dos Advogados, o conselho regional do Porto foi o único entre os sete que existem no país que apresentou um orçamento equilibrado, mas “está em risco de perder as suas instalações”

PremiumParpública escolhe VdA para assessorar venda da Efacec

O Governo depois de analisar vários cenários optou por retomar o processo de privatização da Efacec e já há caderno de encargos.

Premium“M&A pode ter algum abrandamento mas vai continuar dinâmico”

Num ano marcado pela incerteza gerada pelo conflito na Ucrânia, pela escalada da inflação e pela subida dos juros, áreas de prática como Energia e Reestruturações deverão ter grande atividade, diz a líder da Abreu. M&A permanece dinâmico graças a sectores como tecnologia.
Comentários