Saiba o que são intermediários de crédito

Saiba que, embora os intermediários possam acompanhar todo o processo, segundo o Banco de Portugal estes não estão autorizados a conceder créditos ou a comercializar outros produtos de serviços bancários, tais como depósitos a prazo ou serviços de pagamento.

Um intermediário de crédito é uma entidade que participa no processo de concessão de créditos, podendo auxiliar o consumidor na simulação e procura pelas melhores ofertas no mercado.

A contratação deste género de serviços pode ser uma mais valia para o consumidor na medida em que este pode apresentar-lhe as melhores condições contratuais, explicando-lhe o que está em causa, tendo por base um atendimento personalizado. O consumidor poupa ainda tempo e dinheiro, uma vez que não terá que se deslocar fisicamente ao banco e o processo trata-se mais rapidamente, atendendo que estas entidades conhecem todas as etapas de um pedido de empréstimo.

Saiba que, embora os intermediários possam acompanhar todo o processo, segundo o Banco de Portugal estes não estão autorizados a conceder créditos ou a comercializar outros produtos de serviços bancários, tais como depósitos a prazo ou serviços de pagamento.

Existem vários tipos de intermediários de créditos, distinguidos por categorias. O mesmo intermediário não pode exercer atividade em mais de que uma categoria:

  • Intermediário de crédito vinculado: exerce atividade em nome ou sob a responsabilidade de um mutuante ou de vários com quem tenha celebrado um contrato de vinculação. Neste sentido, são estes os responsáveis por assegurar a remuneração ao intermediário, não podendo ser cobradas quaisquer quantias aos consumidores;
  • Intermediário de crédito a título acessório: exerce atividade em nome e sob responsabilidade total e incondicional de um ou de vários mutuantes, tendo como objetivo a venda de bens ou serviços por si oferecidos. Mais uma vez, este é remunerado pelos mutuantes e não pode cobrar quantias aos consumidores.
  • Intermediário de crédito não vinculado: exerce atividade sem estar vinculado com nenhum mutuante. Nestes moldes, é celebrado um contrato de intermediação com o consumidor, onde são estabelecidos os termos e condições associados a este serviço. Neste caso, é o próprio consumidor que assegura a remuneração do intermediário e este não pode cobrar quantias aos mutuantes.

Para ser considerado como intermediário de crédito, seja particular ou empresarial, tem de ser submetido um pedido ao Banco de Portugal através do preenchimento de um formulário que será analisado e, posteriormente, autorizado caso esteja tudo em conformidade com o que é necessário. Após concedida autorização, a empresa passará a estar presente numa lista pública de intermediários de crédito.

Portanto, para que o consumidor esteja certo que está perante uma entidade credível, deve confirmar o nome da mesma consta dessa lista.

É importante que lhe seja entregue a FIN – Ficha Informativa Normalizada – em que estão presentes todos os dados do procedimento por escrito num documento.

 

 

Qualquer dúvida, entre em contacto connosco!

Conte com o apoio da DECO MADEIRA através do número de telefone 968 800 489/291 146 520, do endereço eletrónico deco.madeira@deco.pt. Pode também marcar atendimento via Skype. Siga-nos nas redes sociais Facebook, Twitter, Instagram, Linkedin e Youtube!

Recomendadas

Respostas Rápidas: como deve investir a pensar na reforma?

Com uma estrutura demográfica cada vez mais envelhecida, as dúvidas em torno da sustentabilidade da Segurança Social no médio-prazo reforçam o papel da poupança privada no rendimento dos portugueses em reforma, pelo que importa compreender os vários instrumentos financeiros ao seu dispor.

Respostas rápidas: é assim que pode ir para a reforma antes dos 66 anos e sete meses

Não tem 66 anos e sete meses, mas quer ir para a reforma? Há vários regimes que permitem a antecipação da pensão de velhice. O Jornal Económico explica, com base num guia do ComparaJá.

Respostas Rápidas: como pode aceder ao complemento solidário para idosos ou outras pensões?

A propósito do Dia Internacional do Idoso e dado o envelhecimento cada vez maior da sociedade portuguesa, importa compreender como podem os contribuintes aceder a vários apoios disponibilizados pela Segurança Social.
Comentários