Saiba quanto vai aumentar o seu passe a 1 de janeiro

O Instituto da Mobilidade e dos Transportes procedeu à atualização dos preços dos transportes públicos coletivos rodoviários de passageiros para o próximo ano.

Rafael Marchante/Reuters

Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMTT) procedeu à atualização dos preços dos transportes públicos coletivos rodoviários de passageiros para o próximo ano. De acordo com a nova tabela, divulgada a 13 de dezembro, o passe urbano de Lisboa vai aumentar 50 cêntimos a 1 de janeiro e terá um custo mensal de 36,70 euros.

Trata-se de uma subida menos significativa do que a desde ano, uma vez que de 2016 para 2017 o passe Navegante Urbano subiu 55 cêntimos, passando a custar os (ainda) atuais 36,20 euros.

O novo preço surge na sequência do despacho n.º 21-A/2017, de 11 de dezembro, dos Ministérios das Finanças, do Planeamento e das Infraestruturas e do Ambiente. “Os preços em vigor respeitantes aos títulos constantes da tabela anexa à Portaria n.º 241-A/2013, de 31 de julho, que regula o sistema de passes intermodais e as condições de disponibilização destes títulos de transporte na Área Metropolitana de Lisboa são, por conseguinte, também atualizados”, argumenta o IMTT.

A Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT) emitiu o parecer sobre a proposta de despacho normativo que fixa em 2% a percentagem máxima de aumento médio de atualização em 2018 dos preços praticados para os bilhetes relativos aos transportes coletivos. No documento do regulador, a confirmar a subida, pode ler-se: “A AMT considera que o despacho normativo está em conformidade com o atual enquadramento legal, e vem facilitar a intervenção das entidades públicas e a articulação entre estas e os operadores”.

Recomendadas

Prémio “João Vasconcelos – Empreendedor do ano 2022” atribuído aos fundadores da Coverflex

O prémio de “Empreendedor do Ano” foi entregue pelo presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Carlos Moedas, e por Bernardo Correia, ‘country manager’ da Google Portugal, entidade parceira desta edição.

Empresa aeronáutica prevê 6 milhões para começar a produzir aviões em Cabo Verde

“Venho elaborando este projeto já há dois anos, criei a empresa Aeronáutica Checo-Cabo-verdiana, empresa que irá produzir os aviões da Orlican e Air Craft Industries em Cabo Verde”, afirma Mónica Sofia Duarte.

BPI e FCT financiam 20 projetos e nove ideias para o desenvolvimento sustentável no Interior

A edição de 2022 do Programa Promove, uma iniciativa da Fundação “la Caixa”, em colaboração com o BPI e em parceria com a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), concedeu apoios a fundo perdido de perto de 3,6 milhões a um total de 20 projetos e nove ideias destinados a impulsionar o desenvolvimento sustentável de regiões do interior de Portugal.
Comentários