Salário mínimo regional fixado em 592 euros

A decisão foi tomada no conselho de concertação social da Madeira.

O conselho de concertação social da Madeira fixou o salário mínimo regional em 592 euros.

Este valor foi decidido durante a reunião que decorre esta sexta-feira do conselho de concertação social da Madeira.

O salário mínimo nacional está fixado em 580 euros.

Relacionadas

Quanto ganha no mínimo um europeu? Portugal na ‘cauda’ da Europa

Portugal e Espanha vão aumentar o salário mínimo em 2018, ainda assim os números ficam muito longe do que é pago nos países mais desenvolvidos.

Salário minimo em Espanha passará para 850 euros em 2020

O Presidente do Governo espanhol, Mariano Rajoy, disse hoje que o Executivo e os parceiros sociais assinaram um acordo sobre o aumento do salário mínimo nacional.

Milhões e mais milhões. O incrível recibo de ordenado de Tim Cook em 2017

Entre ordenado, avião privado, despesas com segurança e ações da Apple, Tim Cook “custou” este ano 85 milhões de euros à empresa que lidera.

Marcelo promulga aumento do salário mínimo nacional para 580 euros

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, promulgou hoje o aumento do Salário Mínimo Nacional (SMN) para 2018, que foi fixado em 580 euros pelo Governo.
Recomendadas

Madeira: Dívida da Administração Pública Regional cresce 2,6 milhões de euros no segundo trimestre

Os dados são da Direção Regional de Estatística da Madeira (DREM), que indicam também que face ao trimestre anterior houve uma redução de 300,7 milhões de euros, ou seja um diminuição de 5,7%.

Presidente da Assembleia da Madeira alerta para necessidade de preservar património edificado

O presidente da Assembleia Regional disse esperar que “a voragem da construção não dê cabo” de obras notáveis e marcantes da arquitetura da Madeira e dos Açores. “Em vez de erguermos parques temáticos a recriar o que temos, era bem mais importante tentar recuperar e conservar o que resta da nossa história”, acrescentou José Manuel Rodrigues.

Câmara do Funchal anuncia lançamento de plataforma para acompanhamento de licenciamentos urbanísticos

O presidente da autarquia quer também “desburocratizar o sistema” e aproximar os arquitetos da “realidade pública”.
Comentários