Salgado não ataca família mas diz que Ricciardi teve comportamento “muito curioso”

O antigo presidente executivo do Banco Espírito Santo (BES), Ricardo Salgado, disse hoje no parlamento não querer atacar a sua família, mas realçou perante os deputados que José Maria Ricciardi, seu primo, teve um comportamento “muito curioso”. “O dr. Ricciardi teve um comportamento no mínimo muito curioso em relação àquilo que deveria quanto a mim […]

O antigo presidente executivo do Banco Espírito Santo (BES), Ricardo Salgado, disse hoje no parlamento não querer atacar a sua família, mas realçou perante os deputados que José Maria Ricciardi, seu primo, teve um comportamento “muito curioso”.

“O dr. Ricciardi teve um comportamento no mínimo muito curioso em relação àquilo que deveria quanto a mim ter tido. Certamente se fez alguma denúncia ao Banco de Portugal (BdP) é capaz de ter alguma contrapartida por isso. Não sei qual, não quero fazer suposições, mas acho curioso que isso tenha acontecido”, realçou Salgado, que está a ser ouvido há dez horas no parlamento.

Hoje, o Diário de Notícias noticiou uma carta do presidente do BESI, José Maria Ricciardi, endereçada ao vice-governador do BdP e na qual o responsável se isentava de responsabilidades na crise do BES.

A carta hoje divulgada é datada de 27 de maio deste ano.

“Há membros da minha família que não estavam de acordo comigo e, portanto, denunciavam determinadas situações ao BdP. Vou continuar na minha posição. Estou a trabalhar para defender a dignidade e honra da minha família, não vou atacar ninguém”, declarou Ricardo Salgado no parlamento.

OJE/Lusa

Recomendadas

“Guerra fiscal” em Espanha provoca descida de impostos e nova taxa sobre fortunas

Espanha assiste estes dias a uma “guerra fiscal”, com governos regionais a anunciarem descidas e abolições de impostos a que o executivo nacional vai responder com um “pacote fiscal” que cria um imposto temporário sobre grandes fortunas.
Paulo Portas no Jornal das Oito da TVI

Paulo Portas: “2023 vai ser um ano muito mais difícil do que 2022”

O antigo vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, afirmou esta terça-feira, na VI Cimeira do Turismo, que 2023 vai ser muito mais difícil do que o ano em curso e que é preciso explicar isso para que as pessoas entendam. 

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta terça-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta terça-feira.