Sánchez diz que o número de refugiados da Ucrânia passará de 30 mil para 70 mil em poucos dias

Sánchez expressou a esperança de que “a guerra termine em breve, e a Ucrânia seja respeitada na sua independência”.

O presidente do governo espanhol, Pedro Sánchez, estimou esta quinta-feira que 30 mil ucranianos “oficialmente” já obtiveram proteção temporária, mas que “em poucos dias” esse número subirá para 70 mil segundo o “La Vanguardia”.

Durante a sua visita a Alicante no centro de acolhimento, atendimento encaminhamento de refugiados ucranianos na Cidade Luz, em Alicante, o presidente do Governo tomou conhecimento do processo desde a receção à tramitação da documentação e teve a oportunidade de falar com alguns dos 44 ucranianos que passaram a noite de hoje no recinto, equipado com 495 camas.

Em declarações aos jornalistas, Sánchez expressou a esperança de que “a guerra termine em breve, e a Ucrânia seja respeitada na sua independência, na sua integridade territorial, e que a União Europeia saia mais forte desta grande crise”. “Esta é uma guerra cara, que nos está a custar muito”.

“Todos temos que mostrar unidade”, sublinhou Sánchez, acrescentando que pretende “que a Espanha seja um exemplo de acolhimento e estes meninos e meninas que vemos aqui tenham a infância que os nossos filhos têm”.

Antes de Sánchez, o presidente da Generalitat Valenciana, Ximo Puig, declarou que este “centro nos humaniza, dá-nos esperança”, uma vez que em Alicante procura-se “tratar da melhor maneira possível as pessoas que chegam da Ucrânia”.

 

Recomendadas

Zelenskiy alerta membros da NATO que Moscovo procura “nova ordem mundial”

“Esta não é uma guerra travada pela Rússia apenas contra a Ucrânia. Esta é uma guerra pelo direito de ditar as condições na Europa e como será a futura ordem mundial”, afirmou Zelenskiy num discurso por videoconferência durante a cimeira da NATO em Madrid.

PM britânico diz que invasão da Ucrânia é exemplo de “masculinidade tóxica” de Putin (com áudio)

Durante a cimeira da NATO em Madrid, marcada pela guerra na Ucrânia, Johnson garantiu que a Rússia não teria iniciado o conflito caso estivesse uma mulher no lugar de Putin à frente do Kremlin. 

Revista de imprensa internacional: as notícias que estão a marcar a atualidade global

Turquia levanta veto à adesão da Finlândia e da Suécia à NATO; Stoltenberg espera que Suécia e Finlândia se tornem membros da NATO rapidamente; Independência da Escócia: 19 de outubro de 2023 proposto como data para novo referendo
Comentários