Sandra Felgueiras acusa direção da RTP: “Sexta às nove foi asfixiado por falta de meios”

A jornalista referiu que a sua vida “profissional vai continuar a partir de Janeiro, seguramente com os meios e as condições que esta RTP não nos quis nunca dar”.

José Sena Goulão/Lusa

A antiga jornalista da RTP, conhecida pelo programa sexta à nove, Sandra Felgueiras acusou a direção da RTP de ter deixado o programa devido à falta de meios. A jornalista vai ser a nova diretora da revista Sábado e vai colaborar com a CMTV, ambos os meios do grupo Cofina, dono do Correio da Manhã.

“Despedi-me ontem dos meus amigos da RTP. E da RTP. A partir de agora e até me desvincular da empresa em Janeiro estou oficialmente de férias. Entendi, por isso, que devia por fim aos rumores, às intrigas e a tudo o que fui ouvindo no último mês sobre a minha saída da RTP1 sem nenhuma adesão à realidade”, começou por escrever no Facebook Sandra Felgueiras.

De forma a justificar a sua saída a jornalista explicou ainda que a “RTP”  deixou “que o único programa de investigação televisivo do país, por acaso feito pelo serviço público de televisão, fosse asfixiado por falta de meios até ao fim”.

“Sei bem o que isto significa. E vivi com muito sofrimento esta tomada de decisão. Mas tomei-a em consciência. Por mim e por todos os profissionais que comigo trabalhavam e a quem não poderia continuar a pedir que sacrificassem a vida, sem quaisquer condições, em nome de um desígnio que esta RTP não acarinhava porque na verdade, sem poder dizê-lo, ambicionava – há muito – este desfecho”, sublinhou Sandra Felgueiras.

A jornalista referiu que a sua vida “profissional vai continuar a partir de Janeiro, seguramente com os meios e as condições que esta RTP não nos quis nunca dar. É nisso que eu acredito. E é, por isso, que parto. Por mim, pelo jornalismo e pelo país”.

Na publicação Sandra Felgueiras sublinha ainda que “é com muito orgulho (e talvez como coroa de glória)” que se despende assistindo “à notícia da prisão de João Rendeiro na África do Sul”. “Ou seja, onde há mais de um mês, em exclusivo, o Sexta às 9 – RTP disse que ele estava”, completou.

Relacionadas

Sandra Felgueiras de saída da RTP rumo à CMTV

A notícia foi revelada pela “Nova Gente” que revela que a jornalista (na RTP desde 2000) poderá acumular o cargo na ” CMTV” com o de nova diretora da revista “Sábado”.

Do “estrume” de Galamba ao “mito” da emigração de Passos Coelho. As frases de políticos que motivaram polémicas

Desde as mais recentes declarações de João Galamba sobre o programa da RTP à fúria de Pinheiro de Azevedo com os manifestantes em 1975 e o seu conhecido “bardamerda”, são diversos os momentos em que a carreira de políticos ficou marcada pelas suas declarações. Os ataques aos jornalistas têm sido constantes.

Direção de Informação da RTP repudia palavras de João Galamba que “desrespeitam a liberdade de informação”

Secretário de Estado escreveu num comentário nas redes sociais que o “Sexta às 9” é “uma coisa asquerosa que quer ser considerada um programa de informação”. Algo que os responsáveis pela Informação da televisão pública realçam assumir “particular gravidade” por se tratar de um governante.
Recomendadas

Klarna permite pagamentos faseados em 870 marcas em Portugal

Prestes a completar o primeiro ano de operação em Portugal, a fintech sueca ultrapassou a marca dos 200 mil utilizadores nacionais da aplicação que permite dividir os pagamentos em três fases.

Prémio “João Vasconcelos – Empreendedor do ano 2022” atribuído aos fundadores da Coverflex

O prémio de “Empreendedor do Ano” foi entregue pelo presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Carlos Moedas, e por Bernardo Correia, ‘country manager’ da Google Portugal, entidade parceira desta edição.

Empresa aeronáutica prevê 6 milhões para começar a produzir aviões em Cabo Verde

“Venho elaborando este projeto já há dois anos, criei a empresa Aeronáutica Checo-Cabo-verdiana, empresa que irá produzir os aviões da Orlican e Air Craft Industries em Cabo Verde”, afirma Mónica Sofia Duarte.
Comentários