Santander compra Banco Popular por um euro

“Para o Banco Popular Portugal, esta medida não implica qualquer alteração na atividade do banco português, que continua a operar com total normalidade, agora integrado num novo grupo bancário”, explicou o regulador esta manhã.

O Banco Santander anunciou esta quarta-feira a aquisição de 100% do Banco Popular por um euro. O maior banco de Espanha tem previsto realizar um aumento de capital de aproximadamente sete mil milhões de euros “que cobrirá o capital e as provisões necessárias para reforçar o balanço do Banco Popular”, de acordo com a nota enviada à Comissão de Comissão de Mercado de Valores (CMVM) esta quarta-feira.

“A decisão tomada hoje salvaguarda os depositantes e as funções críticas do Banco Popular. Isto mostra que os instrumentos dados às autoridades de supervisão depois da crise são efectivas para evitar o uso do dinheiro dos contribuintes no resgate a bancos”, afirma Elke König, presidente do Conselho Único de Resolução.

“Para o Banco Popular Portugal, esta medida não implica qualquer alteração na atividade do banco português, que continua a operar com total normalidade, agora integrado num novo grupo bancário”, explicou o regulador, em comunicado enviado às redações esta manhã. “Esta solução não contempla financiamento por parte de organismos nacionais e protege as poupanças confiadas ao Banco Popular Portugal, assegura a continuidade dos serviços prestados em Portugal e do financiamento à economia. A solução preserva, por isso, a estabilidade do Banco Popular Portugal e contribui para a salvaguarda da estabilidade do sistema financeiro português”.

A compra faz com que o português Santander Totta passe a deter uma quota de mercado de cerca de 17%, tornando-se o banco privado em Portugal com mais ativos e crédito. “O Banco Santander Totta incorporará o Banco Popular Portugal, criando as condições para desenvolver ainda mais a sua atividade de apoio às famílias e empresas portuguesas. A decisão tomada garante aos clientes do Banco Popular Portugal e aos seus cerca de mil colaboradores os benefícios da solidez e confiança que são reconhecidos ao Santander Totta”, enfatiza o banco presidido por António Vieira Monteiro.

Ao final da tarde desta terça-feira a Bloomberg dava conta de que o Santander equaciona vir a aumentar o seu capital em mais de cinco mil milhões de euros para financiar a compra do Banco Popular em Espanha, através da emissão de novas ações. A agência informava que o banco liderado por Ana Botín se tinha reunido com advisers financeiros (bancos de investimento) para auscultar a disponibilidade para tomarem firme um aumento de capital. A entidade bancária pretenderia um aumento de capital que compensasse o consumo na compra do rival, mas de dimensão suficiente que lhe desse folga após a compra.

Relacionadas

Santander pondera um aumento de capital de 5 milhões com olho no Popular

A venda de ações só acontecerá se o Santander avançar para a compra do Banco Popular, diz a Bloomberg. O banco quererá um aumento de capital que compense o consumo na compra do rival, mas de dimensão suficiente que ainda lhe dê uma folga depois da compra.

8 perguntas e respostas sobre a situação do Banco Popular

O Banco Central Europeu deve reunir-se esta terça-feira com os espanhóis e uma das hipóteses em cima da mesa é o pedido de empréstimos adicionais ao banco liderado por Mario Draghi.
Recomendadas

EBA lança teste de stress de 2023 para a banca e usa o mais severo de sempre dos cenários adversos

O teste de stress a nível da UE será conduzido numa amostra muito maior em comparação com anos anteriores, abrangendo 70 bancos da UE e 75% do total dos activos bancários na UE. Em termos de queda do PIB, o cenário adverso de 2023 é o mais severo utilizado até à data em toda a UE nos testes da banca.

Arranca Prémio Investigação ASF com foco no Direito e Humanidades

Incentivar a produção de trabalhos de investigação científica de elevado valor para o desenvolvimento dos mercados nacionais dos seguros e dos fundos de pensões é o objetivo do prémio, cujo vencedor será conhecido em julho.

Bancos amortizam antecipadamente pagamento dos LTRO ao BCE no valor de 25 mil milhões

O Banco de Portugal detalha que “após dois anos de aumentos sucessivos do financiamento concedido pelo Eurosistema, em 2022, as subidas das taxas de juro pelo BCE levaram vários bancos a amortizar antecipadamente os montantes obtidos através das operações de refinanciamento”.
Comentários