Santander deverá avançar com nova proposta a lesados do Banif

O presidente do Governo regional dos Açores já veio dizer que espera que também seja encontrada uma solução para os lesados do Banif.

Pedro Nunes/Reuters

O Governo pediu ao Santander uma nova solução para os lesados do Banif e o banco ponderar avançar com nova proposta, refere a SIC Notícias.

O banco liderado por António Vieira Monteiro já tinha feito uma proposta que agradou apenas a 4% dos lesados sendo que a oferta acabou por cair. Isto ocorreu no início de julho, altura em que o Santander Totta avançou com uma emissão de obrigações destinada exclusivamente a investidores em dívida do Banif, cuja responsabilidade pelas aplicações não foram transferidas no âmbito da resolução, tendo ficado no banco mau. A proposta, que permitia 75% de recuperação a 10 anos, não agradou aos lesados.

Diogo Lacerda Machado, o assessor contratado pelo primeiro ministro para gerir o processo, assumiu em entrevista à rádio renascença que o Santander Totta poderá avançar com uma nova solução para quem perdeu dinheiro no Banif, com a aplicação de uma medida de resolução. Nomeadamente os obrigacionistas. O Governo procura junto do Santander Totta uma nova solução para os clientes bancários lesados do Banif, explica Diogo Lacerda Machado.

Depois da solução para os lesados do BES ter sido anunciada com pompa e circunstância, foi a vez dos lesados pela Resolução do Banif virem pedir uma solução também para eles. A resolução do Banif aconteceu há exatamente um ano. O presidente do Governo regional dos Açores já veio dizer que espera que também seja encontrada uma solução para os lesados do banco.

A Associação de Lesados do Banif também querem uma solução do Governo.

Recomendadas

Bancos sujeitos a coimas até 1,5 milhões se não aplicarem diploma do Governo para crédito à habitação

Está já em vigor, a partir deste sábado, o diploma que estabelece medidas destinadas a mitigar os efeitos do incremento dos indexantes de referência de contratos de crédito para aquisição ou construção de habitação própria permanente. Bancos têm 45 dias a partir de hoje para aplicar as medidas.

Complemento excecional a pensionistas: SNQTB remeteu nova carta ao Primeiro-Ministro

Depois do OE2023 ter sido aprovado o Sindicato Nacional dos Quadros e Técnicos Bancários diz que “o Partido Socialista mantém a injustiça em relação aos bancários reformados que foram indevidamente excluídos da atribuição do complemento excecional a pensionistas”.

Sete bancos lucraram dois mil milhões até setembro, mais 71% do que no período homólogo

Os lucros dos sete maiores bancos – Caixa Geral de Depósitos, BCP, Novobanco, Santander Totta, BPI, Crédito Agrícola e Banco Montepio somam 2.006,3 milhões de euros até setembro deste ano, o que compara com um valor de 1.172 milhões nos nove meses do ano passado. O que significa que os lucros dos sete bancos cresceram 71,2%.
Comentários