Santander Totta terá de cumprir requisitos de capital e passivos elegíveis de 23,43% em 2024

O Banco Santander Totta, bem como a sua acionista Santander Totta SGPS informaram o mercado que foram notificados pelo Banco de Portugal, enquanto autoridade nacional de resolução, dos requisitos de fundos próprios e passivos elegíveis para 2022 e 2024.

Cristina Bernardo

O Banco Santander Totta, bem como a sua acionista Santander Totta SGPS informaram o mercado que foram notificados pelo Banco de Portugal, enquanto autoridade nacional de resolução, dos requisitos de fundos próprios e passivos elegíveis (MREL  – minimum requirement on own funds and elegible liabilities), conforme decisão do Conselho Único de Supervisão aplicáveis ao grupo de resolução encabeçado pela SGPS, em termos do montante total das exposições em risco (TREA) e da medida de exposição total (LRE).

Assim, os requisitos de fundos próprios e passivos elegíveis exigidos à Santander Totta SGPS em base consolidada, a 1 de janeiro de 2022 e 1 de janeiro de 2024 são de MREL Total 17,43% em 2022 e de 20,43% em 2024. A isto acresce o requisito combinado de fundos próprios de 3% do TREA, pelo o total que a holding tem de ter 20,43% de MREL em 2022 e 23,43% em 2024.

O MREL Subordinado é de 17,05% e 19,28%, para 2022 e 2024, respetivamente.

Os requisitos em termos de LRE são de 6,88% em 2022 e 7,65% em 2024, ao nível do MREL Total e do MREL Subordinado.

Já os requisitos de fundos próprios e passivos elegíveis exigidos ao Banco Santander Totta em base individual, a 1 de janeiro de 2022 e 1 de janeiro de 2024 são respetivamente de 15,29% e 17,23% (MREL Total). A isto acresce o requisito combinado de fundos próprios de 2,5% do TREA. Pelo que totaliza uma requisito de 17,79% e 21,78%, respetivamente.

Os requisitos de LRE são 5,54% e 5,91% (em termos de MREL Total).

Com base na informação disponível à data, está assegurado o cumprimento, quer pelo Banco, quer pela SGPS, dos respetivos requisitos intermédios de MREL, para 1 de janeiro de 2022, tanto em percentagem de TREA (incluindo o CBR), como de LRE.

O MREL é definido de acordo com a Diretiva Bancária de Recuperação e Resolução (BRRD) e tem como objetivo assegurar que os bancos têm capital e passivos elegíveis de forma a ter capacidade de absorver perdas em cenários adversos e capitalizar-se internamente.

Recomendadas

BNA levanta suspensão da participação no mercado cambial imposta ao Finibanco Angola

O Finibanco Angola tinha sido suspenso de participar no mercado cambial, por um período de 45 dias, pelo Banco Nacional de Angola (BNA), depois de o supervisor bancário angolano detectar incumprimentos durante uma inspecção pontual, em meados de agosto.

Banco de Portugal mantém a zero a exigência aos bancos de um “reserva contracíclica de fundos próprios”

O Banco de Portugal revelou o tradicional comunicado sobre a reserva contracíclica de fundos próprios, desta vez relativa ao 4.º trimestre de 2022. O supervisor vai manter a dispensa de constituição de reserva contracíclica para a banca no quatro trimestre deste ano, à semelhança do que sucedeu nos anteriores.

Merlin Properties compra sede do Novobanco na Avenida da Liberdade por 112 milhões

A informação do comprador foi confirmada pela entidade bancária esta sexta-feira em comunicado, depois de já ter avançado com o valor do negócio nas últimas semanas.
Comentários