Estes são os telemóveis nos quais o WhatsApp vai deixar de funcionar

O ano novo traz alterações tecnológicas: uma das aplicações mais utilizadas em todo o mundo vai deixar de poder ser utilizada nos telemóveis mais antigos.

O anúncio de que o WhatsApp iria deixar de funcionar em certos aparelhos foi feito em fevereiro do ano passado mas, para os mais esquecidos: 2017 é o ano em que a app deixa de funcionar em vários sistemas antigos.

Nas plataformas Android 2.1, Android 2.2, iPhone 3GS/iOS 6 e Windows Phone 7 a instalação deixa de ser compatível agora no início do ano e nos BlackBerry, BlackBerry 10, Nokia S40 e Nokia Symbian S60 só vai continuar operacional até ao dia 30 de junho.

“Se tiver algum dos telemóveis com estes sistemas, sugerimos que compre um modelo Android, iPhone ou Windows Phone mais recente antes do final de 2016, para que possa continuar a usar o WhatsApp”, recomendaram os responsáveis da marca.

A justificação da empresa prende-se com a necessidade de se dedicar “às plataformas de telefones móveis usadas pela grande maioria das pessoas”.

“Estas plataformas foram muito importantes na nossa História, mas já não têm a capacidade necessária para expandir as funções do nosso aplicativo no futuro”, esclareceu o WhatsApp, em comunicado, no ano passado.

A empresa lembrou que, aquando do nascimento, “cerca de 70% dos smartphones vendidos tinham sistemas operacionais do BlackBerry e da Nokia”, mas actualmente 99,5% das vendas do setor se devem aos sistemas oferecidos pela Google, Apple e Microsoft.

O WhatsApp foi fundado em 2009 por Jan Koum e Brian Acton, depois de 20 anos consecutivos a trabalhar no Yahoo. Em 2014, a empresa aliou-se ao Facebook mas continuar a operar como uma aplicação independente.

Recomendadas

EDP procura startups mais inovadoras na área da energia

Elétrica lança a 7ª edição do Free Electrons em busca de startups inovadoras. Candidaturas decorrem até 28 de janeiro.

Mitos que bloqueiam progressão feminina e dificultam diversidade de género nas empresas

Relatório da Mazars e Gender Balance Observatory desmistifica mitos em contexto laboral, entre os quais a falta de ambição e a aversão ao risco entre as mulheres, a questão da maternidade ou das quotas e a meritocracia.

Mercado automóvel cresce 1,8% entre janeiro e novembro, mas muito longe dos números pré-pandemia

Dados da ACAP revelam que em termos globais, o mercado automóvel regista um crescimento de 1,8% entre janeiro a novembro de 2022, face a igual período do ano anterior. De referir que 11,1% dos veículos ligeiros de passageiros novos são elétricos (BEV).
Comentários