São Paulo lidera em multimilionários

São Paulo é a cidade da América Latina com mais multimilionários e a sexta do mundo, atrás de Nova Iorque, Moscovo, Hong Kong, Londres e Pequim, segundo um estudo da consultora Wealth-X e do Banco UBS. O Brasil, para além de Portugal, é o único país lusófono neste relatório sobre os multimilionários – com ativos […]

São Paulo é a cidade da América Latina com mais multimilionários e a sexta do mundo, atrás de Nova Iorque, Moscovo, Hong Kong, Londres e Pequim, segundo um estudo da consultora Wealth-X e do Banco UBS.

O Brasil, para além de Portugal, é o único país lusófono neste relatório sobre os multimilionários – com ativos acima de mil milhões de dólares -, no qual se revela que São Paulo tem 36 multimilionários, com uma fortuna conjunta de 72 mil milhões de euros, acima das outras duas cidades brasileiras que figuram na lista: Rio de Janeiro e Jaraguá do Sul, com 12 e 3 multimilionários, responsáveis por 67 e 3 mil milhões de dólares, respetivamente.

De acordo com o relatório, a que a Lusa teve acesso, Portugal é o 18.º país europeu, tendo 5 multimilionários responsáveis pela gestão de 10 mil milhões de dólares, exatamente os mesmos números que o pequeno Lichenstein, mas não figura na lista das 40 cidades com mais multimilionários a nível mundial.

O documento revela que há 2325 multimilionários a nível mundial este ano, o que representa uma subida de 7,11% face ao ano passado, e têm ativos no valor total de 3,7 biliões de dólares, mostrando uma valorização de 12% face ao ano passado.

A Wealth-X e o Banco UBS indicam que os multimilionários, dos quais 90% têm entre mil e 10 mil milhões de dólares, decidem o seu lugar de residência mais em função de cidades do que de países.

Olhando para o ranking por países, os EUA encabeçam a lista, com 517 bilionários, seguidos da China (190), Reino Unido (130), Alemanha (123), Rússia (114) e Índia (100), ao passo que o Brasil está no 9.º lugar da lista, com 61 pessoas com ativos acima de mil milhões de dólares.

 

OJE/Lusa

 

Recomendadas

Moçambique baixa receitas fiscais do gás ao fundo soberano para 40%

Moçambique deverá ser um dos maiores exportadores mundiais de gás a partir de 2024, beneficiando não só do aumento dos preços, no seguimento da invasão da Ucrânia pela Rússia, mas também pela transição energética.

Impacto das sanções dos Estados Unidos prejudica cooperação com Portugal, diz embaixador iraniano

Mortza Damanpak Jami afirmou que até 2017, as relações e trocas comerciais entre os dois países ascendiam a 65 milhões de euros, valor que, depois das sanções devido ao programa nuclear iraniano, tem vindo a descer, situando-se em 2021 em torno dos 12 ou 13 milhões de euros.

Eleições do Brasil: Lula da Silva vota em eleição que pode definir o seu regresso ao Governo

Além de Lula da Silva e Bolsonaro, disputam as presidenciais brasileiras os candidatos Ciro Gomes, Simone Tebet, Luís Felipe D’Ávila, Soraya Tronicke, Eymael, Padre Kelmon, Leonardo Pericles, Sofia Manzano e Vera Lúcia.