SAP apresenta solução de orquestração para grandes quantidades de dados

A SAP anunciou uma nova solução que deverá permitir às empresas lidar com a cada vez maior complexidade dos sistemas de dados.

A SAP criou um novo sistema, o SAP Data Hub, que se propõe deixar os dados armazenados onde se encontram, centralizando apenas o processamento. A solução está, numa primeira fase, disponível em versão on premises, desde o início de setembro. Gradualmente serão disponibilizadas as versões que poderão conectar e processar dados em ambientes cloud (por exemplo data lakes no AWS da Amazon). A arquitetura está preparada para a cloud e versões de plataforma e serviços as a Service vão ser disponibilizadas em breve. Em Portugal ainda não casos implantados, disse esta semana fonte oficial da SAP ao Jornal Económico.

A solução permite a integração, orquestração e governação dos dados, criando fluxos de dados que podem contribuir para acelerar os resultados das empresas, anunciou a empresa, em primeira-mão, em Nova Iorque.

O SAP Data Hub é, como explica Irfan Khan, responsável de vendas de base de dados e gestão de dados na SAP, “uma camada de gestão de dados” que acolhe outras soluções do fabricante e não só, e que permite a integração, processamento e governação dos dados”.

É, segundo a SAP, uma “nova categoria de software”, com capacidades de monitorização e de gestão da informação. A solução junta-se à gama de soluções da SAP que incluem o “Vora”, os “serviços de big data na plataforma cloud” a que se soma o sistema de inovação digital do Leonardo.

O conceito de “data hub empresarial” não é novo, mas a SAP pretende diferenciar-se de outros concorrentes, porque a nova oferta mantém os dados onde estavam originalmente, facilitando aos cientistas de dados o trabalho de analise de dados provenientes de múltiplas fontes e sistemas.

O fabricante de software assinala que a solução dá resposta às necessidades do mercado confrontadas com dificuldades em tirar partido dos dados que têm internamente. Bernd Leukert, membro do conselho de administração, produtos e inovação da SAP, considera que a nova solução “preenche a lacuna entre big data e dados empresariais, permitindo às empresas construir aplicações que extraem o valor dos dados em toda a organização, independentemente da sua localização: em cloud computing, “on premises” num “data lake” ou no centro de dados da empresa, em plataformas SAP e não-SAP”. É o caso do SAP Hana ou de outras fontes como o Apache e o Hadoop.

Enormes quantidades de dados

A situação é complexa, e comprovada por um estudo publicado pela SAP. Este estudo global revela que 74% dos decisores na área de TI têm um “ecossistema” de dados tão complexos que lhes limita a agilidade e 86% acrescentam que poderiam fazer muito mais com os seus dados se simplesmente lhes pudessem aceder.

Uma das primeiras aplicações da nova solução foi na McKesson, uma empresa do sector da saúde que tem como objetivo “melhorar os cuidados prestados e melhorar a eficiência em toda a cadeia de valor da prestação de cuidados de saúde”, testemunhou Adam Fecadu, chief information architect, na McKesson Corp. “Com múltiplas fontes, tipos e arquiteturas de TI, precisávamos de uma solução de dados unificada, entre departamentos e unidades de negócio para criar informação útil e inovação contínua”, assinalou, acrescentado que a nova solução da SAP está alinhada com esta visão.

A SAP acredita que ao compreender melhor a dimensão dos dados, os clientes podem estar mais conscientes das oportunidades e dos riscos. É o caso, por exemplo do impacto que pode ter alguma mudança no sistema de dados antes mesmo de acontecerem. As empresas podem também descobrir, “sem grandes custos adicionais” novas oportunidades de negócio nos dados, ao mesmo tempo que resolvem ameaças emergentes e asseguram o caminho coreto para os fluxos de dados.

Segundo o exposto pela empresa “é possível criar rapidamente fluxos de processamento de dados poderosos que acedem, harmonizam, transformam e tratam informação proveniente e disponível para a organização”, acelerando o desenvolvimento de projetos, uma vez que os modelos podem ser facilmente copiados, modificados e reutilizados para acelerar a criação e desenvolvimento de modelos.

A ATB Financial é outro caso de estudo da nova solução e Mervin van der Spuy, chief data officer da organização assinala que a SAP está a contribuir para “compreender os ecossistemas de dados ao simplificar e acelerar os fluxos de dados da origem ao consumo. Esta empresa está a utilizar tecnologias open-source na sua estratégia de transformação digital, assente na plataforma SAP Hana, e valoriza por isso o suporte do SAP Data Hub às tecnologias open source.

Recomendadas

Prémio “João Vasconcelos – Empreendedor do ano 2022” atribuído aos fundadores da Coverflex

O prémio de “Empreendedor do Ano” foi entregue pelo presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Carlos Moedas, e por Bernardo Correia, ‘country manager’ da Google Portugal, entidade parceira desta edição.

Empresa aeronáutica prevê 6 milhões para começar a produzir aviões em Cabo Verde

“Venho elaborando este projeto já há dois anos, criei a empresa Aeronáutica Checo-Cabo-verdiana, empresa que irá produzir os aviões da Orlican e Air Craft Industries em Cabo Verde”, afirma Mónica Sofia Duarte.

BPI e FCT financiam 20 projetos e nove ideias para o desenvolvimento sustentável no Interior

A edição de 2022 do Programa Promove, uma iniciativa da Fundação “la Caixa”, em colaboração com o BPI e em parceria com a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), concedeu apoios a fundo perdido de perto de 3,6 milhões a um total de 20 projetos e nove ideias destinados a impulsionar o desenvolvimento sustentável de regiões do interior de Portugal.
Comentários