Sapadores de Lisboa pedem às pessoas para não saírem de casa devido ao mau tempo

O comandante dos Sapadores Bombeiros de Lisboa, Tiago Lopes, pediu hoje aos lisboetas para não saírem de casa devido à formação de lençóis de água na estrada por causa das fortes chuvadas que se fazem sentir na cidade.

“Há muitos lençóis de água, os carros ficam presos na água e nós não conseguimos socorrer toda a gente”, disse à Lusa.

Tiago Lopes indicou que havia “10 ocorrências ativas” na capital portuguesa.

“Agora não há balanço nenhum. Estamos a socorrer algumas situações”, indicou.

“Choveu bastante, estamos com algumas vias de comunicação inundadas, mas não consigo dar um ponto situação muito preciso. Por toda a cidade há um pouco de água nas vias”, acrescentou.

O Serviço Municipal de Proteção Civil de Lisboa também recomendou as pessoas a ficarem em casa.

“Devido à forte precipitação, vento forte e perigo de inundações, o Serviço Municipal de Proteção Civil de Lisboa recomenda que os cidadãos permaneçam em casa e evitem deslocações”, lê-se Twitter da Câmara Municipal de Lisboa.

O distrito de Lisboa é o que está a ser mais atingido pelas chuvas fortes que se fazem hoje sentir em Portugal continental, com 22 ocorrências registadas, adiantou à agência Lusa a Proteção Civil.

De acordo com fonte da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), pelas 22:30, havia 36 ocorrências devido ao mau tempo em todo país, sendo 70% relativas a inundações.

“Por enquanto, não temos danos de estruturas ou vítimas. São situações pontuais devido à acumulação da precipitação e estão a ser resolvidas”, acrescentou.

A ANEPC disse que, além das 22 ocorrências em Lisboa, foram ainda registadas, uma em Aveiro, Beja, Braga, Castelo Branco, Coimbra e Portalegre, duas no Porto e três em Setúbal.

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta terça-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta terça-feira.

JMJ custaram 48,5 milhões de euros à Polónia em 2016

As JMJ realizam-se por todo o mundo, sendo este ano organizadas em Portugal entre os dias 1 e 6 de agosto. Este evento está a gerar alguma discórdia devido aos valores que Portugal vai gastar para receber o Papa Francisco. Mas esta discussão não acontece apenas por cá. Também nos países que já foram anfitriões das jornadas este foi um tema polémico.

“Sofisma constitucional.” Vital Moreira lamenta o “severo rigorismo” do TC sobre a eutanásia

Constitucionalista não concorda com a decisão tomada pelo Tribunal Constitucional em relação ao diploma da despenalização da morte medicamente assistida e critica a argumentação que sustenta a inconstitucionalidade.
Comentários