Saúde 24 terá hoje novo algoritmo que permitirá maior atendimento, garante Temido

No entanto, advertiu, com o número crescente de novos casos de covid-19, “as melhorias, provavelmente, vão sentir-se muito ligeiramente”.

António Pedro Santos/Lusa

A Linha Saúde 24, que está em sobrecarga, terá “nas próximas horas” um algoritmo diferente que permitirá “uma maior fluidez do encaminhamento” das chamadas, disse hoje a ministra da Saúde.

“Os algoritmos de trabalho e de encaminhamento têm estado a ser revistos nos últimos dias, nas últimas horas, e acabaram de ser revistos pela Serviços Partilhados [do Ministério da Saúde] e pela Direção-Geral da Saúde e estimamos que nas próximas horas possamos estar com um algoritmo diferente na linha que permita uma maior fluidez do encaminhamento”, disse Marta Temido em declarações à agência Lusa no Ministério da Saúde.

No entanto, advertiu, com o número crescente de novos casos de covid-19, “as melhorias, provavelmente, vão sentir-se muito ligeiramente”.

“Sabendo que neste momento os níveis de serviço não são aqueles que prestávamos e a que a Linha Saúde 24 nos habituou, temos que ter a perceção de que neste momento estamos com largos milhares de contactos a acontecerem ao mesmo tempo e que isso gera sobrecarga”, salientou Marta Temido.

Relacionadas

“Arranha-céus de casos”. Marta Temido avisa que Portugal pode atingir os 37 mil casos na próxima semana

Marta Temido falou no dia em que o país registou novo máximo absoluto em termos de novos casos, ao ultrapassar as 17 mil infeções confirmadas.

Portugal soma 17.172 casos por Covid-19 nas últimas 24 horas. Novo máximo desde o início da pandemia

Depois de uma quebra de casos registado no domingo, o número de casos confirmados disparou esta terça-feira atingindo um novo recorde. Foram mais de 17 mil infeções e 19 mortes associadas à Covid-19 nas últimas 24 horas.

Regresso da telescola? Pais e diretores destacam incerteza que paira sobre início do segundo período

As associações contactadas pelo Jornal Económico preferem o ensino presencial e receiam o regresso do ensino remoto, numa altura em que o Ministério da Educação ainda não entregou todos os computadores que tinha prometido.
Recomendadas

Covid-19: China anula várias medidas de prevenção e sinaliza fim da estratégia ‘zero casos’ (com áudio)

O Conselho de Estado (Executivo) anunciou que quem testar positivo para o vírus pode, a partir de agora, cumprir isolamento em casa, em vez de ser enviado para instalações designadas, muitas vezes em condições degradantes.

Covid-19: Pandemia provocou mais 300 mil mortes na UE do que as oficiais, diz OCDE

“No final de outubro de 2022, mais de 1,1 milhões de mortes de covid-19 foram reportadas em todos os 27 países da UE, mas os dados sobre o excesso de mortalidade sugerem que se trata de uma subestimativa e que mais 300 mil pessoas morreram devido ao efeito direto ou indireto da pandemia”, refere o relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) e da Comissão Europeia (CE).

Covid-19: Problemas de saúde mental aumentaram na Europa, sobretudo nos jovens

A Organização para Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) explica no relatório comparativo da situação de saúde na Europa que, enquanto em 2019 a percentagem de jovens entre 15 e 24 anos com sintomas de depressão era de 6%, contra 7% nos adultos, com o coronavírus os números aumentaram em todos os países para os quais existem dados.
Comentários