Saúde: Tempos de espera entre os 1043 e os 23 dias

Otorrino, dermatologia, ortopedia e oftalmologia são quatro das especialidades das que mais tempo de espera têm apresentado nos últimos anos.

Segundo os dados disponíveis no Portal do Sistema Nacional de Saúde (SNS) relativos ao primeiro trimestre de 2017 com tempos médios para prioridade normal, no caso de otorrino, o paciente pode esperar até 23 dias para uma prioridade normal no Hospital Amato Lusitano, em Castelo Branco, aos 1043 do Hospital de Santo André, em Leiria, noticia o Jornal de Notícias.

Em Portimão, por exemplo, pode esperar-se 695 dias por uma consulta de gastroenterologia; na Guarda, no Hospital Sousa Martins, o paciente pode esperar 719 dias por uma consulta de cardiologia ou 1574 dias para ser visto em primeira consulta por um médico da especialidade de urologia no Hospital São Pedro de Vila Real.

Miguel Guimarães, bastonário da Ordem dos Médicos, considera que o acesso ao Serviço Nacional de Saúde “é cada vez mais difícil. Por exemplo, Vila Real devia ter no quadro oito urologistas e só tem dois. Não é sequer um serviço, nem assegura a urgência e estão limitados na capacidade de cirurgias e consultas”.

O bastonário admite que há deficiências de recursos humanos em todos os hospitais.

“Há falta generalizada de médicos em todas as especialidades. Em dermatologia grande parte dos médicos optou pelo privado e os que ficaram no público têm horários reduzidos”, aponta.

O tempo máximo de resposta garantido para as primeiras consultas de especialidade com prioridade normal é de 150 dias.

 

 

 

 

Recomendadas

Comparadora de seguros HelloSafe recebe mais quatro milhões para expandir em Portugal

“Este financiamento irá apoiar a nossa ambição de nos tornarmos a plataforma internacional número um em Portugal para comparar produtos financeiros e de seguros”, diz Oleksiy Lysogub, cofundador da empresa canadiana. ‘Insurtech’ vai contratar 40 pessoas.

Saiba que tipo de informação é dada pela nova etiqueta energética

A informação que consta da etiqueta varia conforme o equipamento, mas existe um conjunto de informação comum.

Saiba em que consiste a etiqueta energética e a sua importância na compra de equipamentos elétricos

A nova etiqueta energética já é uma realidade no nosso mercado. Os consumidores precisam de conhecer esta ferramenta, útil e intuitiva, para escolher os seus eletrodomésticos de forma esclarecida e eficiente.
Comentários