Schäuble: “Ou a Grécia adota reformas ou sai do Euro”

O ministro das Finanças alemão reforçou que não há planos de alívio da dívida grega e defende que o país deve adotar as reformas económicas impostas pelos credores.

REUTERS/Hannibal Hanschke

No dia em que o Eurogrupo se reúne em Bruxelas, as medidas a curto prazo de alívio da dívida grega estão em cima da mesa do encontro, segundo o que Wolfgang Schäuble já tinha anunciado. No entanto, o governante alemão criticou essa hipótese, em entrevista publicada ontem.

“Atenas deve implementar as reformas necessárias”, referiu Wolfgang Schäuble, em entrevista ao jornal alemão “Bild”, lembrando que a Grécia ou aplica as reformas ou deverá sair da zona euro. “Se a Grécia se quiser manter no Euro não há maneira de o contornar – de facto, é completamente independente do nível da dívida”, assegurou em declarações ao mesmo jornal.

Questionado sobre se os eleitores alemães devem estar preparados para a inevitabilidade do alívio da dívida na véspera das eleições nacionais do próximo ano, Schäuble explicou que “isso não ajudaria a Grécia”, em declarações reproduzidas pelo “The Guardian“.

Desde 2010 que Atenas tem uma dívida estimada em 315 mil milhões de euros e pediu mais tempo e um programa de reembolso mais suave. O primeiro-ministro do país, Alexis Tsipras, tem defendido um alívio da dívida e pede um acordo ainda antes do Natal, que considera “essencial” para que o país consiga regressar aos mercados internacionais.

Na perspetiva do ministro grego com a pasta das Finanças, Euclid Tsakalotos, a situação é “tão grave quanto a vivida no Verão de 2015”. Nesse período, os gregos chumbaram as medidas dos credores e que Atenas recebeu o terceiro pacote de ajuda no valor de 86 mil milhões de euros.

A propósito do encontro de hoje, o comissário europeu para os Assuntos Económicos, Pierre Moscovici, sublinhou no Twitter que União Europeia “precisa de uma posição fiscal positiva que suporte o crescimento”.

Recomendadas

Adjudicados últimos seis lotes do concurso para fornecimento de serviços à rede SIRESP

O concurso para fornecimento de serviços à rede de emergência SIRESP foi concluído na segunda-feira, antes do prazo, com a adjudicação dos restantes seis lotes, anunciou hoje a empresa que gere o sistema.

Há um “caminho longo” a percorrer no envelhecimento ativo, diz a ministra da Coesão Territorial

“Sabemos hoje mais sobre as maleitas dos mais velhos e sabemos como as evitar”, sublinhou Ana Abrunhosa, reiterando que “todos queremos envelhecer com qualidade”.

Apoio às famílias pode mitigar desaceleração da economia, prevê Fórum para a Competitividade

O pacote de apoios preparado pelo Governo como resposta à inflação pode mitigar a desaceleração da economia, mas o próximo ano apresenta-se repleto de riscos de desafios. Salários reais devem voltar a cair, prevê o Fórum para a Competitividade.
Comentários