PremiumScott Knowles: “As florestas que estão a arder são um legado do Estado Novo”

Professor e historiador diz que a gestão florestal em Portugal deverá envolver parcerias público-privadas e novos regulamentos para o eucalipto. E não subscreve a sugestão de relocalizar aldeias ameaçadas por cheias.

Professor e historiador de tecnologias e políticas públicas das cidades modernas, Scott Knowles dedica-se em particular ao risco e catástrofes. É research fellow no Centro de Pesquisa de Desastres na Universidade de Delaware e autor do livro “The Disaster Experts: Mastering Risk in Modern America” e coautor de um volume sobre os desastres da central nuclear de Fukushima. Estará em Lisboa para a 7 de janeiro participar na conferência “A Governação do Risco num Planeta em Aquecimento”, uma conferência do CIUHCT – Centro Interuniversitário de História das Ciências e da Tecnologia com a colaboração da Culturgest, onde irá abordar a gestão, a vulnerabilidade e a resiliência dos desastres lentos, com foco nos incêndios de Pedrógão Grande em 2017. Em entrevista ao Jornal Económico, diz que os incêndios em Portugal não são apenas uma consequência das alterações climáticas, mas também um legado de décadas da gestão florestal.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumCOP27: economia fica sempre à frente dos interesses do planeta

A guerra, a inflação, os preços das energias tornaram a opção pela produção sustentável um luxo a que as economias não se podem dar. A guerra das Nações Unidas terá de ficar para mais tarde.

Pelo menos 238 mil pessoas morreram devido à poluição do ar em 2020, revela relatório

A poluição do ar provocou a morte de, pelo menos, 238 mil pessoas na União Europeia (UE), em 2020, mais do que no ano anterior, segundo um relatório da Agência Europeia do Ambiente (EEA, na sigla em inglês), hoje divulgado.

Negociadores chegam a acordo sobre fundo climático na COP27

A revelação foi feita pelo ministro do Ambiente das Maldivas, este sábado, 19 de novembro Sharm El-Sheikh, Egito, no Egito. “Há um acordo sobre perdas e danos”, afirmou Aminath Shauna à Associated Press.
Comentários