PremiumScott Knowles: “As florestas que estão a arder são um legado do Estado Novo”

Professor e historiador diz que a gestão florestal em Portugal deverá envolver parcerias público-privadas e novos regulamentos para o eucalipto. E não subscreve a sugestão de relocalizar aldeias ameaçadas por cheias.

Professor e historiador de tecnologias e políticas públicas das cidades modernas, Scott Knowles dedica-se em particular ao risco e catástrofes. É research fellow no Centro de Pesquisa de Desastres na Universidade de Delaware e autor do livro “The Disaster Experts: Mastering Risk in Modern America” e coautor de um volume sobre os desastres da central nuclear de Fukushima. Estará em Lisboa para a 7 de janeiro participar na conferência “A Governação do Risco num Planeta em Aquecimento”, uma conferência do CIUHCT – Centro Interuniversitário de História das Ciências e da Tecnologia com a colaboração da Culturgest, onde irá abordar a gestão, a vulnerabilidade e a resiliência dos desastres lentos, com foco nos incêndios de Pedrógão Grande em 2017. Em entrevista ao Jornal Económico, diz que os incêndios em Portugal não são apenas uma consequência das alterações climáticas, mas também um legado de décadas da gestão florestal.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Crise climática deve ser prioridade de todos os governos e organizações multilaterais, diz Guterres (com áudio)

O secretário-geral da ONU, António Guterres, defendeu hoje que a crise climática deve ser prioridade máxima de todos os governos e organizações multilaterais e pediu que as empresas de combustíveis fósseis sejam responsabilizadas pela destruição do planeta.

Novos satélites para prever o clima lançados a partir do final do ano

A Organização Europeia para a Exploração de Satélites Meteorológicos anunciou hoje o lançamento, no final do ano, de uma nova geração que melhorará e acelerará o envio de dados a meteorologistas de toda a Europa sobre acontecimentos climáticos graves.

Situação de seca meteorológica diminuiu significativamente até 15 de setembro

Nos primeiros 15 dias de setembro verificou-se um “desagravamento significativo” da situação de seca meteorológica em todo o território, em especial nos distritos da Guarda, Viseu e Castelo Branco, anunciou hoje o IPMA.
Comentários