Se depender dos empresários espanhóis corte para o público pode ir até 90 mil milhões

O Círculo de Empresários (CE) espanhol defendeu hoje uma redução de entre 40 e 90 mil milhões de euros no peso da administração pública de Espanha, afirmando temer que a agenda de reformas vai ser interrompida em 2015. Em conferência de imprensa Manuel Pérez-Sala, presidente do Comité de Orçamento do CE, lamentou o que diz […]

O Círculo de Empresários (CE) espanhol defendeu hoje uma redução de entre 40 e 90 mil milhões de euros no peso da administração pública de Espanha, afirmando temer que a agenda de reformas vai ser interrompida em 2015.

Em conferência de imprensa Manuel Pérez-Sala, presidente do Comité de Orçamento do CE, lamentou o que diz ser a “escassa ambição” do ajuste dos gastos públicos no Orçamento de Estado (OE) de 2015, que arranca esta semana a sua tramitação parlamentar.

“Tudo indica que em 2015 se perderá o impulso reformista”, disse, referindo que um menor corte no gasto impede uma redução mais profunda de impostos.

Numa análise do OE os empresários consideram que o peso da administração pública deveria ser reduzido para um valor entre os 35 e os 40% do PIB.

Atualmente, refere, o peso do setor público ronda os 44% do PIB pelo que o “mais saudável” seria reduzir esse valor entre 4 e 9 pontos do PIB – o que equivale a entre 40 e 90 mil milhões de euros.

Reformas no modelo de contratação, despedimento e remuneração dos funcionários públicos – para os assemelhar ao setor privado – é outras das propostas do CE.

Os empresários manifestam ainda preocupação sobre a evolução dos gastos em pensões devido ao envelhecimento da população, estimando que o Fundo de Reserva da Segurança Social poderá desaparecer em 2019.

 

OJE/Lusa

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta sexta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta sexta-feira.

Angola. João Lourenço aprova financiamento de 420 milhões para combater seca severa

O Presidente angolano, João Lourenço, aprovou dois acordos de financiamento para a cobertura do projeto de abastecimento de água para o combate à seca severa e às alterações climáticas orçados em 420 milhões de euros.

Preços das casas sobem 9,3% na zona euro e 9,9% na UE no segundo trimestre

De acordo com o serviço estatístico europeu, na comparação com os primeiros três meses do ano, os preços das casas avançaram 3,2% na zona euro e 3,1% na UE.